ENTRETENIMENTO

Máquinas do tempo

A alta relojoaria encanta com suas minúcias e elegância. Confira modelos de relógios masculinos para manter a pontualidade sem abrir mão do estilo.

Para controlar a passagem do tempo, o homem inventou o relógio. Se, no princípio, era a posição do Sol que determinava as horas, a partir do século 14 surgiram os primeiros relógios mecânicos, com engenharia detalhista e artesanal, um artefato à época restrito à aristocracia.

Há quem atribua a criação do relógio de pulso ao aviador e inventor brasileiro Alberto Santos Dumont (1873-1932), que teria pedido ao amigo Louis Cartier, fundador da Maison Cartier, um acessório para usar em voo. O joalheiro e

relojoeiro francês fabricou então o primeiro relógio masculino desse modelo. Isso foi em 1904. No entanto, o primeiro registro de uma peça do gênero foi feito em 1810, pelo relojoeiro suíço Abraham Louis Breguet, que criou um relógio de pulso para Carolina Bonaparte, irmã de Napoleão.

A urbanização das cidades e o ritmo de vida cada vez mais acelerado da população fizeram o acessório ganhar popularidade e admiradores em todo o mundo. “Na contemporaneidade, o relógio de pulso deixou de ser uma necessidade imediata e se tornou um acessório de vestuário que dialoga com a personalidade de quem o usa”, diz o arquiteto Arthur Casas, que lançou um modelo com seu nome pela joalheria H. Stern.

Escolha pessoal

Quando o assunto é a escolha do modelo ideal, a jornalista Rosângela Espinossi, autora do livro 101 Segredos para se Vestir sem Erro no Trabalho (Ed. Alpendre), ensina que, mais importante que ter o relógio adequado para cada ocasião, é considerar o estilo individual. “Pessoas com punho e braços mais fortes ficam melhores com relógios maiores. Já quem tem punho menor deve apostar em modelos mais enxutos”, diz.

O momento em que o relógio será usado também deve ser levado em consideração. Eventos formais pedem peças e acessórios mais sérios, segundo Rosângela, que sugere os modelos analógicos e mais discretos, com design simples. Os digitais são mais indicados para ocasiões informais. “Os relógios considerados clássicos e, portanto, mais adequados a situações que pedem mais formalidade, são os de metal (ouro e prata), com pulseira de couro ou metal”, explica. “Os emborrachados, por sua vez, dão um ar mais despojado ao visual”, explica.

Outra questão que deve ser ponderada é a cor. Pulseiras pretas ou marrons são as mais indicadas. “Se o sapato e o cinto forem pretos – e essas peças sempre devem ser da mesma cor –, o ideal é apostar na pulseira preta”, recomenda. Mais elegantes, os metais foscos também são bem-vindos.

Se o objetivo é dar um toque descontraído à aparência, vale a pena ousar nas cores e no formato do relógio. Rosângela ressalta apenas que o metal dourado em braços masculinos pode ser muito chamativo e ter um efeito negativo, denotando ostentação.

 

De que lado usar?

A grande maioria das pessoas usa o relógio no punho esquerdo sem, no entanto, saber o real motivo da escolha. Na verdade, ele deve ser usado na mão contrária à que se escreve. Isso porque, nos primeiros modelos desenvolvidos, a coroa grande e pesada poderia incomodar durante as atividades cotidianas, como escrever, trabalhar e comer. “Hoje não existe mais essa rigidez. Apesar de o lado esquerdo ainda ser o mais usual, não há qualquer problema em usar o relógio no punho direito. Vai da preferência de cada um”, destaca Claudia Matarazzo, jornalista e consultora de moda e etiqueta. Outra dica diz respeito à posição da peça durante o uso. Rosângela ensina que o mostrador
deve ficar sempre para cima e a pulseira não deve estar muito apertada. “A medida ideal é 6 milímetros para cima e 5 milímetros para baixo do ossinho do pulso.” Quando usado com camisa de manga longa, é praxe que o acessório não apareça quando o braço estiver esticado.

Sem uni-duni-tê

Além de combinar o relógio com a roupa, é preciso escolher aquele que mais se ajusta à personalidade, ao gosto pessoal e ao estilo de vida de quem vai usar a peça. Na hora da compra, o mestre relojoeiro Kurt Klaus, que trabalha há mais de 60 anos na tradicional grife suíça IWC Schaffhausen, define o que é fundamental em um relógio: “Mostrar corretamente as horas, os minutos e a data. Todo o resto é luxo”.

Mesmo com toda a tecnologia de produção disponível atualmente, as marcas mais sofisticadas não abrem mão do trabalho artesanal de mestres como Klaus para montar rodas e engrenagens quase invisíveis aos olhos. A suíça TAG Heuer, por exemplo, inaugurou em 2016 uma escola relojoeira em parceria com a Zenith para perpetuar essa arte. É a Escola de Relojoaria LVMH, sediada em Paris.

 

Alta Tecnologia

A valorização dos luxuosos modelos que envolvem o cuidadoso trabalho artesanal de mestres relojoeiros caminha paralelamente à criação de opções cada vez mais tecnológicas e conceituais. Um exemplo são os smartwatches, relógios com conectividade Bluetooth e funcionalidades que vão desde GPS até monitoramento de desempenho, playlist e recursos para o pagamento de contas.

A diferença entre usar um modelo convencional e um smartwatch, segundo Ilham Harati Dias, gerente de Marketing da Garmin Brasil, está no rendimento, principalmente para esportistas. “A música ajuda a manter o ímpeto durante corridas longas ou difíceis. Com um relógio com playlist, como o Forerunner 645 Music, os atletas terão independência, qualidade e precisão”, diz, citando o modelo com capacidade de armazenamento de até 500 músicas, aplicativos, campos de dados e conexão com redes sociais e sistemas de pagamentos.

Outro exemplo é o modelo Lo Scienziato Luminor 1950 Tourbillon GMT Titanio, da italiana Officine Panerai, com caixa de titânio impressa em 3D. Leve, o relógio é feito com tecnologia Direct Metal Laser Sintering, que constrói a peça camada a camada com laser de fibra ótica e titânio em pó, permitindo que o relógio tenha uma geometria mais complexa, inviável no método convencional.

 

Versatilidade e elegância

Os relógios de pulso inteligentes viraram uma febre. É fato. O Nokia Steel HR foi criado para reunir alto desempenho e estilo. O design segue os modelos tradicionais, que não destoam em nada quando se está vestindo um terno, por exemplo, mas a tecnologia está toda ali. Com apenas uma recarga, a bateria dura mais de 25 dias. O relógio monitora os batimentos cardíacos, faz a contagem de passos, sinaliza notificações do telefone e é resistente a uma profundidade de até 50 metros debaixo d’água. Ele é capaz de monitorar mais de dez tipos de atividades físicas. Pode ser customizado de diversas formas: com o mostrador em preto ou branco, a caixa de aço ou dourada e as pulseiras nas mais variadas texturas e cores. (Por Suzana Camargo)

 

SERVIÇO

  • AMSTERDAM SAUER – amsterdamsauer.com.br
  • GARMIN – garminstore.com.br
  • H. STERN – hstern.com.br
  • IWC SCHAFFHAUSEN – iwc.com
  •  NOKIA – health.nokia.com/us/en/steel-hr
  • OFFICINE PANERAI – panerai.com
  • RESERVA – usereserva.com
  • TAG HEUER – tagheuer.com/pt/

 

 

Texto Juliana Crem

Privacy Settings
We use cookies to enhance your experience while using our website. If you are using our Services via a browser you can restrict, block or remove cookies through your web browser settings. We also use content and scripts from third parties that may use tracking technologies. You can selectively provide your consent below to allow such third party embeds. For complete information about the cookies we use, data we collect and how we process them, please check our Privacy Policy
Youtube
Consent to display content from Youtube
Vimeo
Consent to display content from Vimeo
Google Maps
Consent to display content from Google
Spotify
Consent to display content from Spotify
Sound Cloud
Consent to display content from Sound