PALAVRA DO ECONOMISTA

Agenda Econômica – 06/01 a 10/01

Veja aqui os eventos da próxima semana

Destaque da semana

Nesta semana a agenda econômica foi reduzida devido ao feriado de ano novo. Na economia doméstica os destaques ficaram para o PMI industrial de dezembro, o déficit primário do governo central de novembro e as vendas de veículos da Fenabrave de dezembro. No exterior, destaque para o PMI industrial da Zona do Euro e dos EUA, ambos referentes ao mês de dezembro, além da divulgação da ata do FOMC sobre a última decisão de política monetária do Fed.

Na Zonal do Euro, o PMI industrial de dezembro apresentou queda para 46,3 ante 46,9 da leitura anterior, abaixo inclusive da leitura preliminar que indicava estabilidade do indicador. Nos EUA, o resultado também foi levemente abaixo da última publicação com 52,4 ante 52,5 em novembro. No Brasil, a queda foi mais acentuada de 52,9 em novembro para 50,2 em dezembro. No entanto, ainda permanece acima do patamar de 50 pontos que indica expansão das atividades industriais.

Sobre as vendas de veículos, segundo a Fenabrave, em dezembro o avanço foi de 8,4% ante queda de -4,4% em novembro.

Por fim, os dados fiscais do governo central indicaram em novembro déficit primário de 15,3 bilhões, abaixo do esperado pelo mercado que projetava 16,4 bilhões.

Próxima semana

Para a próxima semana, por outro lado, a agenda será carregada com o IPCA e o IGP-DI de dezembro e a produção industrial de novembro. No exterior destaque para as vendas no varejo da Zona do Euro referente ao mês de novembro e a inflação ao consumidor de dezembro. Nos Estados Unidos, na sexta-feira, será conhecido o relatório de emprego (Payroll).

Sobre o IPCA de dezembro, nossos modelos indicam alta da inflação de 1,05%, este resultado acima da sazonalidade do período é pressionado, principalmente, pelo choque em proteína animal que vem contagiando os indicadores de inflação nas ultimas divulgações. Além disso, combustíveis e energia elétrica também contribuirão de forma positiva nesta leitura, mas em menor intensidade. Com a materialização deste resultado o IPCA fechará o ano de 2019 com alta de 4,20%.

O IGP-DI, também em linha com o IPCA, estará pressionado e nossa expectativa é de avanço de 1,91% em dezembro ante novembro. Com este resultado a alta em 12 meses será de 7,87%.

Por fim, a produção industrial referente ao mês de novembro segundo nossas projeções é de queda de -0,5% em relação ao mês de outubro, na série ajustada sazonalmente e de -0,5% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Rafael G. Cardoso, economista-chefe

rafael.cardoso@bancodaycoval.com.br

Antônio Castro, analista econômico

antonio.castro@bancodaycoval.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Privacy Settings
We use cookies to enhance your experience while using our website. If you are using our Services via a browser you can restrict, block or remove cookies through your web browser settings. We also use content and scripts from third parties that may use tracking technologies. You can selectively provide your consent below to allow such third party embeds. For complete information about the cookies we use, data we collect and how we process them, please check our Privacy Policy
Youtube
Consent to display content from Youtube
Vimeo
Consent to display content from Vimeo
Google Maps
Consent to display content from Google
Spotify
Consent to display content from Spotify
Sound Cloud
Consent to display content from Sound