PALAVRA DO ECONOMISTA

Agenda Econômica – 23/03 a 27/03

Veja aqui os eventos da próxima semana

Destaque da semana

Nesta semana, além da continuidade da volatilidade nos mercados tanto locais quanto externos, o destaque da agenda econômica doméstica foi a decisão de política monetária do Banco Central Brasil.

Ao final da tarde de quarta-feira o BC brasileiro decidiu por reduzir a taxa SELIC em 0,50 p.p. levando-a ao patamar de 3,75% a.a. conforme esperado por nós, no entanto, com uma sinalização de que vê a manutenção da SELIC no atual patamar como “adequada”.

A decisão do Banco Central foi pautada pelo receio dos membros do Comitê em torno de um possível efeito contraproducente nas condições financeiras caso houvessem mais cortes. Entretanto, em nossa opinião, o fato real é justamente o oposto: um maior conservadorismo da política monetária neste momento constrange as condições financeiras. Constrangimento em ativos financeiros de forma geral (ações, câmbio, taxas de juros de prazos mais dilatados) devem ser tratados com instrumentos adequados, o que não é o caso da taxa SELIC.

Desta forma, mantemos nossa percepção de que o cenário de atividade econômica decepcionante e inflação morosa vão se impor novamente e levarão o BCB a voltar a derrubar a taxa SELIC (0,25p.p. ou 0,50p.p.) na próxima reunião. Dada as condições postas atualmente esperamos que taxa SELIC termine o ano abaixo de 3,5%. (Para saber mais veja nosso post completo aqui).

No exterior, com a volatidade nos mercados tanto os bancos centrais quanto os Governos tentam sinalizar com estímulos, reduções de taxas de juros e programas para prover liquidez entre outros, no entanto, o cenário ainda é deterioração principalmente dos ativos de risco.

Sobre a epidemia de COVID-19, os números ainda continuam a crescer com mais 230 mil infectados em todo o mundo e 10 mil mortes. No Brasil, o número de casos tem crescido rapidamente e preocupado as autoridades, principalmente no Estado de São Paulo, medidas como fechamento de comércios já foram tomadas pelo Governador do Estado na tentativa de conter o avanço da doença.

Os impactos econômicos derivados da epidemia ainda são incertos, mas as estimativas de crescimento para a econômica brasileira têm se deteriorado de forma bastante robusto. Hoje o Governo Federal revisou sua expectativa de PIB de 2,1% para 0,02% em 2020.

Próxima Semana

Para a próxima semana, a agenda econômica apresentará os dados de atividade econômica referente ao mês de janeiro, com as Vendas no Varejo e o Índice de Atividade Econômica do Banco central, além dos dados de inflação com o IPCA-15 de março.

Em relação às vendas no Varejo, nossa expectativa é de queda 1,0% em janeiro ante o mês imediatamente anterior, na série livre da sazonalidade. Em relação ao mesmo período do ano anterior, nossas projeções apontam para alta de 1,5%. No Varejo Ampliado, que inclui as vendas de veículos e material de construção, nossa estimativa também é de queda de 1,5% em relação a dezembro, ajustado sazonalmente, e alta de 0,3% na comparação contra janeiro de 2019.

Para o índice de atividade econômica (IBC-BR), esperamos alta de 0,29% na variação mensal, com ajuste sazonal e 1,38% na análise interanual.

Por fim, nossos modelos apontam para o IPCA-15 de março uma desaceleração da inflação em relação a fevereiro (0,22%), com 0,07%. Com a materialização deste resultado o índice acumulará alta de 3,73% em 12 meses.

Rafael G. Cardoso, economista-chefe

rafael.cardoso@bancodaycoval.com.br

Antônio Castro, analista econômico

antonio.castro@bancodaycoval.com.br

Privacy Settings
We use cookies to enhance your experience while using our website. If you are using our Services via a browser you can restrict, block or remove cookies through your web browser settings. We also use content and scripts from third parties that may use tracking technologies. You can selectively provide your consent below to allow such third party embeds. For complete information about the cookies we use, data we collect and how we process them, please check our Privacy Policy
Youtube
Consent to display content from Youtube
Vimeo
Consent to display content from Vimeo
Google Maps
Consent to display content from Google
Spotify
Consent to display content from Spotify
Sound Cloud
Consent to display content from Sound