CRÉDITO, INSTITUCIONAL

Daycoval lança linha de R$ 1 bilhão de crédito emergencial para empresas que não exige garantias reais

Por Patrick Cruz

O Banco Daycoval acaba de lançar uma linha de R$ 1 bilhão de crédito emergencial para oferecer a empresas de pequeno e médio porte afetadas pela pandemia. Em um momento em que muitos negócios estão paralisados por causa das medidas de isolamento social, adotadas para conter a covid-19, as operações de empréstimo serão feitas totalmente online.

A resposta aos pedidos de financiamento será dada em até 24 horas e não haverá exigência de garantias reais para a liberação dos recursos. Os contratos poderão ser quitados em até 36 meses, com carência de três meses. Para quem contratar nas próximas semanas, a primeira parcela será paga apenas em outubro.

Antes de criar a linha, por um ano e meio o banco desenvolveu uma operação de crédito 100% digital voltada a empresas de pequeno porte. O Daycoval tem um longo histórico de financiamento a empresas do chamado middle market, mas ainda encontrava dificuldade em alcançar empreendimentos de menor porte.

Com essa nova abordagem digital, conseguiu. Ao final dos 18 meses de testes e ajustes, já recebia 300 a 350 solicitações de crédito por dia por meio do canal, mesmo compasso da tradicional linha de financiamento a capital de giro, que atende a empresas um pouco maiores. Antes da pandemia se instaurar, já tinha liberado aproximadamente R$ 100 milhões em pequenas operações, para empresas com faturamento anual de R$ 600 mil, em média.

“Queríamos fazer algo que nenhum outro banco faz”, diz Carlos Dayan, diretor-executivo do Daycoval. Não se trata de um movimento já adotado pelos chamados bancos digitais, que, ao abrirem contas de pessoas físicas, oferecem automaticamente um cartão de crédito. “Essas são contas de difícil rentabilização para o banco”, afirma o executivo. “Nós atraímos novas empresas – e, desde o início, elas já tinham operações contratadas com o banco.”

Passos de evolução

Uma das dificuldades dessa operação digital – que foi a gênese da nova linha emergencial – foi desenvolver um modelo de aprovação dos empréstimos para empresas jamais visitadas pelo banco. Com isso, nos primeiros meses, a análise dos pedidos de crédito demorava 15 dias. No fim de 2019, após uma série de ajustes, a resposta aos potenciais tomadores já passou a ser dada em 24 horas. 

O crédito a empresas 100% online criado pelo Daycoval começou a ganhar tração no ano passado. Nos primeiros meses de 2020, já com uma média de 350 consultas sobre empréstimos por dia, os recursos liberados se aproximavam de R$ 100 milhões, mas a pandemia exigiu uma mudança de rota. Em meados de março, quando as medidas de isolamento social começaram a ser adotadas no Brasil, a operação foi paralisada. 

Adimplência alta, mesmo na crise

Nos últimos dois meses, conta Dayan, o banco monitorou a carteira de crédito digital para entender como seria seu comportamento em uma crise tão profunda como a desencadeada pelo coronavírus. “As empresas estão com dificuldades, mas percebemos como elas estavam trabalhando ao máximo para manter suas contas em dia, mesmo com as portas fechadas”, relata ele, que se surpreendeu positivamente com a inadimplência nesse segmento. “Não é questão de ajudar, nós queremos fazer negócios com quem tem esse nível de seriedade.”

Assim, a estrutura adotada para a operação de crédito 100% digital foi a base para o lançamento do Crédito Emergencial Daycoval. Os empréstimos são de valores entre R$ 50 mil e R$ 500 mil, com taxas de juros entre 1,7% e 2,5% ao mês. Eles estarão disponíveis a empresas com faturamento anual entre R$ 500 mil e R$ 90 milhões e pelo menos cinco anos de fundação. Também é preciso ter certidão negativa de débitos. O banco acredita que concederá R$ 1 bilhão em empréstimos ao longo dos próximos 12 meses.

Empréstimo para qualquer finalidade

A operação tem suporte do Fundo Garantidor de Investimentos. Criado em 2010 e gerido pelo BNDES, o FGI, como é conhecido, é utilizado no mercado de crédito para compensar a falta de outras garantias. Ao compartilhar com a instituição financeira o risco das operações que garante, o FGI propicia a redução do custo que recairia sobre o tomador do empréstimo.

Há cerca de quatro anos, o Daycoval inovou, usando o FGI para dar retaguarda a financiamentos de capital de giro. Agora, usa o dispositivo para o crédito emergencial e permite que os recursos tenham livre destinação. “Se a empresa quiser usar os recursos para quitar algum outro empréstimo, mais caro, ou mesmo para um investimento, ela pode. Ninguém melhor que o próprio dono da empresa para saber o que fazer com esse recurso.”

A operação é toda online – e a comunicação sobre o produto, quase toda. Grande parte da divulgação do Crédito Emergencial Daycoval será feita em canais digitais, como redes sociais e ferramentas de buscas, mas, dessa vez, o banco também fará publicidade sobre o produto na TV. Em paralelo, o Daycoval trabalha para um novo passo de evolução do produto: até o início do segundo semestre, a resposta aos pedidos de empréstimo ocorrerá não mais em 24 horas, mas em poucos minutos.

Privacy Settings
We use cookies to enhance your experience while using our website. If you are using our Services via a browser you can restrict, block or remove cookies through your web browser settings. We also use content and scripts from third parties that may use tracking technologies. You can selectively provide your consent below to allow such third party embeds. For complete information about the cookies we use, data we collect and how we process them, please check our Privacy Policy
Youtube
Consent to display content from Youtube
Vimeo
Consent to display content from Vimeo
Google Maps
Consent to display content from Google
Spotify
Consent to display content from Spotify
Sound Cloud
Consent to display content from Sound