Categorias

O que é LGPD e como a nova lei afeta a sua empresa?

Você já ouviu falar que os dados são o “novo petróleo”? Com a economia cada mais digitalizada, em que o mundo sai do off para o online, conhecer o cliente é a receita do sucesso. E os dados são imprescindíveis nesse processo. Por meio de algoritmos, é possível encontrar consumidores específicos para cada produto ou serviço. 

A oferta de promoções tende a ser cada vez mais personalizada com o uso de inteligência artificial, a partir da análise de hábitos e valores das pessoas. Sendo assim, ter acesso aos dados pessoais, com perfis socioeconômicos facilitados pelo próprio usuário, é um verdadeiro tesouro.

Mas como fica a privacidade do cliente em meio a essa corrida pelos dados? A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) chega para nortear as empresas em tudo que se refere à captação, armazenamento, uso e compartilhamento desses dados, criando um equilíbrio entre os interesses das empresas e a privacidade dos usuários. Neste artigo, você encontrará tudo sobre a LGPD e seus impactos na rotina das empresas.  Boa leitura!

O que é LGPD?

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) é um conjunto de regras que tem por objetivo garantir a privacidade de dados pessoais e permitir um controle maior sobre o que é coletado, armazenado, compartilhado e tratado, bem como com qual finalidade é usado. De maneira geral, a LGPD dispõe sobre a responsabilidade das empresas quanto a essas questões e traz aos clientes a tranquilidade de que suas informações serão manipuladas de forma segura e transparente.

A LGPD estabelece dois segmentos: os dados pessoais e os dados pessoais sensíveis. No primeiro estão informações gerais, como nome, RG e CPF. No segundo, estão questões como etnia e identidade racial, orientação sexual, religiosa, posicionamentos políticos, históricos de saúde, entre outros. Essas características são classificadas como sensíveis, pois podem vir a ser usadas para obtenção de vantagem financeira ou discriminação. 

Em vigor no Brasil desde setembro de 2020, o cumprimento da LGPD é fiscalizado pela Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD).

O que muda para as empresas?

Como a maioria das empresas lida com algum tipo de informação do cliente, a LGPD terá impacto na maior parte dos negócios. A lei cria diversas regras para o tratamento dos dados, o que implica na necessidade de revisar contratos, procedimentos e sistemas com a finalidade de obter as devidas autorizações dos usuários e para que os dados sejam manipulados da forma correta.

Com a LGPD em vigor, as empresas já estão sujeitas a pedidos de informações, correções e exclusões dos titulares de dados pessoais e de entidades fiscalizadoras. Dessa forma, é fundamental se adequar à nova legislação o quanto antes e contar com uma política de privacidade, tanto interna quanto externa. Além disso, é importante realizar o treinamento de funcionários, a adequação de contratos com fornecedores e parceiros, além de capacitar profissionais para cuidar dos dados e monitorar como eles serão manuseados.

Consequências para quem descumprir a LGPD?

A partir de agosto de 2021, entram em vigor as sanções para as empresas e instituições que descumprirem os dispositivos da lei. As multas estabelecidas pela legislação começam em 2% do faturamento das empresas ou conglomerados até o limite de R$ 50 milhões.

Contudo, mais do que uma forma de evitar multas, a adequação à LGPD é um compromisso das empresas com seus usuários, garantindo a eles privacidade e transparência sobre o uso dos dados.

Invista em segurança e transparência

Um ponto importante dessa lei diz respeito à segurança. Sempre que uma base de dados for invadida por hackers e os dados das pessoas forem expostos, as organizações devem informar aos seus usuários para protegê-los da ação de criminosos. Portanto, investir em cibersegurança é essencial, tanto para proteção quanto para responder a ataques aos sistemas. 

A LGPD trará grandes mudanças, com impactos positivos e muito necessários. Passa a ser fundamental administrar os dados de maneira transparente, clara e responsável. Como resultado, haverá maior exigência por segurança e assertividade. Saem na frente as empresas que atuam de forma idônea e que contam com tecnologia para tratar os dados com segurança e responsabilidade. Para saber todos os detalhes da lei, clique aqui

Recomendar Conteúdo:
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Quem leu essa matéria também gostou

Matérias mais lidas

Gostaria de receber novidades?

    Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

    WhatsApp
    LinkedIn
    Twitter
    Facebook

      Ei, tá curtindo o nosso Blog?

      Inscreva-se para receber as nossas novidades dicas financeiras exclusivas e conteúdo especial na sua caixa de entrada.




      Obrigado por se inscrever!