Categorias

Renda fixa ou Renda Variável. O que é melhor?

Um investidor competente precisa conhecer com profundidade as características das aplicações disponíveis e o comportamento dos indicativos econômicos. Dessa maneira, conseguirá efetuar a melhor opção possível, quanto à aplicação de seus recursos.

Um ponto importante a ser considerado, é entender a melhor opção entre renda fixa e variável. Neste artigo, vamos descrever qual melhor opção de investimento entre as alternativas de renda fixa ou variável.

Diferenças entre Renda Fixa e Variável

Antes de avaliarmos as aplicações em renda fixa ou variável, é importante que passemos pelos conceitos de cada um desses investimentos.

Renda Fixa

A renda fixa funciona como um empréstimo que o investidor está realizando à instituição financeira, para que esse agente possa ampliar a oferta de crédito a outros clientes (intermediação financeira).

Com isso, é definida a rentabilidade percentual aplicada a um determinado indicador, para ser paga ao investidor. Esse saberá, antecipadamente, qual indicador e remuneração prevista receberá ao final da aplicação.

Esse tipo de aplicação possui garantias dos valores investidos, até determinado limite, estabelecido em legislação. Desse modo, para que não se perca o recurso aplicado. Nesse tipo de investimento, estão enquadrados:

  • Tesouro Direto;
  • CDB;
  • RDB;
  • LCA;
  • LCI;
  • Debêntures etc.

São aplicações com menores riscos por definirem previamente a rentabilidade. Por isso, são sugeridas para investidores com perfil conservador.

Renda Variável

Neste caso, há um risco maior, pois o investidor passa a se enquadrar na posição da pessoa que está realizando uma aplicação, mas como participante de determinado tipo de negócio.

Sua remuneração estará vinculada ao resultado daquele investimento que se optou para realizar a aplicação.

Não são definidas rentabilidades prévias, e sim um maior risco de perdas ou benefício de ganhos muito maiores, dependendo do comportamento daquela aplicação realizada.

Contudo, não são garantidos. Nesse grupo estão incluídos:

  • investimentos em ações;
  • multimercado;
  • fundos de ações;
  • bitcoin;
  • contratos futuros;
  • crowdfunding etc.

É indicado a investidores com perfil arrojado e que tenham maior conhecimento de mercado e suas variações.

Com base nesses conceitos e características específicas, é possível entender as diferenças para definir um investimento mais adequado entre renda fixa ou variável.

Características para o investidor

Para uma adequada aplicação em renda fixa ou renda variável, é necessário conhecer o perfil exato do investidor, evitando que se causem frustrações desnecessárias e que sejam aplicados os recursos da melhor forma possível a atender suas expectativas.

Existem fatores que devem ser considerados, em cada caso, pelos investidores. Podemos descrever a seguir:

➢ Na Renda Fixa devem ser considerados:

  • Maior segurança;
  • Menor necessidade de conhecimento do mercado;
  • Retorno do investimento conhecido;
  • Menor rendimento;
  • Possui garantias do valor aplicado;
  • Opções restritas e com poucas variáveis de investimentos;
  • Sujeito a oscilações de preço, sem variação de renda.

➢ Renda Variável:

  • Maior risco;
  • Maior conhecimento do mercado;
  • Retorno imprevisível;
  • Maior rendimento;
  • Sem garantias de valor aplicado;
  • Com ampla opção e variáveis de investimentos;
  • Com oscilações de renda e preço.

Perfil do investidor

Para a melhor opção entre renda fixa ou variável, é importante o entendimento do perfil do investidor.
As instituições definem variáveis para estabelecer esses perfis que podem ter classificações e designações específicas para cada financeira. Porém, estão compreendidos em três tipos básicos:

Conservador

Quem é conservador faz de tudo para conservar o seu dinheiro. A prioridade, portanto, é sempre a segurança do investimento. Essa é aquela pessoa que tem aversão a risco.
Ou seja, prefere investimentos que sejam mais seguros, com pouco risco, mesmo que isso signifique menos rentabilidade.

Moderado

Não é tão conservador e nem tão arrojado. Está disposto a assumir alguns riscos, mas não muitos. Busca boa rentabilidade, mas também preza pela segurança.

Arrojado

É quem prioriza a rentabilidade, mesmo se isso exigir entrar em um investimento com um nível maior de risco. Está até disposto a “perder” dinheiro em alguns momentos para que tenha um bom rendimento no futuro.

Como definir a escolha

Definir o investimento entre renda fixa ou variável pode ser uma tarefa difícil, se você não conhece seu perfil ou deseja romper com padrões de aplicações já existentes.

De qualquer forma, não é necessário definir uma única opção e trabalhar com diversificação entre essas aplicações é o ideal, para obter maiores oportunidades de rendimentos e, consequentemente, a possibilidade de ganhos que compensem perdas.

Esse critério permite ampliar a visão do investidor e obter a antecipação de objetivos traçados no momento da aplicação.

Considerações finais sobre renda fixa ou variável

Neste artigo, detalhamos os critérios para renda fixa ou variável que permitirão maior conhecimento e segurança, de modo a auxiliar o investidor a ter uma nova visão, ou consolidar qualquer conceito existente.

O Banco Daycoval pode assessorá-lo na busca das melhores opções do mercado. Acesse agora para mais detalhes.

Recomendar Conteúdo:
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Quem leu essa matéria também gostou

Matérias mais lidas

Gostaria de receber novidades?

    Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

    WhatsApp
    LinkedIn
    Twitter
    Facebook

      Ei, tá curtindo o nosso Blog?

      Inscreva-se para receber as nossas novidades dicas financeiras exclusivas e conteúdo especial na sua caixa de entrada.




      Obrigado por se inscrever!