Categorias

Copom reduz Taxa Selic para 11,75% a.a. Como investir neste cenário?

O Comitê de Política Monetária (Copom) anunciou nesta quarta-feira, 13, um corte de 0,5% na taxa básica de juros, a Selic, que agora alcança o patamar de 11,75% a.a.

Taxa Selic e IPCA

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o indicador oficial da inflação no país, teve variação positiva de 0,28% no mês de novembro, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A inflação acumulada nos últimos 12 meses ficou em de 4,68%, abaixo dos 4,82% observados na janela de 12 meses a partir do mês anterior. Dos nove grupos analisados no IPCA, sete apresentaram alta no mês de novembro.

O Banco Central, atento aos movimentos dos preços da economia, optou por uma postura mais flexível na condução da política monetária, entendendo que a inflação está sob controle e que houve espaço para um corte adicional na taxa de juros.

Como fica a renda fixa?

O recente corte na taxa básica de juros tem impacto imediato na redução da rentabilidade de todos os ativos que possuem indexação ao CDI e à Selic.

Sendo assim, papéis como CDB, LCI, LCA, Fundos DI e Tesouro Selic vão proporcionar um rendimento menor quando comparados a períodos anteriores, visto que estamos em um momento de afrouxamento na condução da política monetária.

De qualquer forma, vale destacar que mesmo com o corte recente, o patamar de taxa de juros permanece proporcionando ganhos interessantes.

Entretanto, salientamos que, segundo as expectativas do mercado divulgadas no Boletim Focus, a taxa Selic deve passar por cortes sucessivos nos anos seguintes, movimento este que tende a reduzir a atratividade da renda fixa pós-fixada em um futuro próximo.

Diante disso, é fundamental diversificar os investimentos para preservar o potencial de retorno.

Com a diversificação por meio da aplicação em múltiplos ativos de classes distintas, é possível otimizar o retorno da sua carteira de investimentos com boa gestão de risco. Constituindo, desta forma, um portfólio robusto e resiliente frente às mudanças de cenário.

Algumas opções para melhorar a relação risco/retorno da sua carteira, considerando o cenário de queda nos juros, são: títulos prefixados, títulos de crédito privado, ações, fundos de renda fixa ativos, fundos multimercado, fundos de ações etc.

Top produtos Daycoval Investe

  • CDB Pós: CDB Daycoval 110% CDI, prazo 1 ano.
  • DAYCOVAL CLASSIC F.I.R.F.C.P.
  • LCA/LCI Daycoval até 100% CDI, sujeito a lastro.
  • CDB Pré: CDB Daycoval 1 ano 11,60% a.a.

Se você ainda não tem conta de investimentos no Daycoval, abra a sua!

Recomendar Conteúdo:
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Quem leu essa matéria também gostou

Matérias mais lidas

Gostaria de receber novidades?

    Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

    WhatsApp
    LinkedIn
    Twitter
    Facebook

      Ei, tá curtindo o nosso Blog?

      Inscreva-se para receber as nossas novidades dicas financeiras exclusivas e conteúdo especial na sua caixa de entrada.




      Obrigado por se inscrever!