PALAVRA DO ECONOMISTA

Macro Alerta | COPOM reduz taxa SELIC a 4,25% e sinaliza pausa adiante

Veja o relatório em PDF aqui

Ontem o COPOM decidiu por unanimidade reduzir a taxa SELIC de 4,5% para 4,25%. A redução era a expectativa majoritária no mercado, mas contrária a nossa expectativa de manutenção da taxa SELIC. Por trás da nossa projeção estava, principalmente, o argumento que o BCB já deveria estar de olho em 2021, dada a defasagem da política monetária, e, neste caso, com expectativa de inflação já ancorada na meta.

Desta forma, apesar de ter cortado a taxa de juros, o COPOM usou tal argumentação para sinalizar a interrupção do ciclo adiante, tornando essa a principal mensagem do comunicado. Assim a taxa SELIC deverá permanecer estável em 4,25%, pelo menos, ao longo do primeiro semestre. 

Diversas outras alterações na comunicação do COPOM dão respaldo a sinalização mais conservadora, sendo as principais:

  • Os núcleos de inflação, que vinham sendo caracterizados de “confortáveis”, foram classificados como “compatíveis” com o cumprimento da meta, o que sugere leitura marginalmente menos benigna.
  • Peso crescente para o ano-calendário de 2021 e a explicitação de dois modelos (híbrido e de mercado), além das expectativas de mercado, com expectativa para tal ano ancoradas na meta.
  • Revisão do balanço de riscos com acréscimo do risco de um possível aumento da potência de política monetária elevar o risco da inflação subir acima do esperado.

Entretanto, em nossa opinião, para além das reuniões do primeiro semestre acreditamos que o BCB reavaliará a política monetária em meados do ano o que poderá resultar em novos movimentos no segundo semestre. Contrariamente a modelagem explicitada pelo BCB e a expectativa mediana de mercado, nossos modelos apontam para inflação ainda bem abaixo da meta em 2021, especialmente para medidas de inflação subjacentes.

Neste sentido, acreditamos que o BCB adotará novamente uma postura favorável a juros baixos ainda este ano, sendo possivelmente algum ajuste marginal na taxa SELIC (um ou dois cortes de 0,25p.p.) ou sinalização mais clara que a duração dos juros em patamares estimulativos por maior período.

Rafael G. Cardoso, economista-chefe

rafael.cardoso@bancodaycoval.com.br

Antônio Castro, analista econômico

antonio.castro@bancodaycoval.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Privacy Settings
We use cookies to enhance your experience while using our website. If you are using our Services via a browser you can restrict, block or remove cookies through your web browser settings. We also use content and scripts from third parties that may use tracking technologies. You can selectively provide your consent below to allow such third party embeds. For complete information about the cookies we use, data we collect and how we process them, please check our Privacy Policy
Youtube
Consent to display content from Youtube
Vimeo
Consent to display content from Vimeo
Google Maps
Consent to display content from Google
Spotify
Consent to display content from Spotify
Sound Cloud
Consent to display content from Sound