INVESTIMENTOS

O que você precisa saber para investir bem em 2022

Por  Mauro Rached, Head de Investimentos do Banco Daycoval

As perspectivas do cenário econômico para o ano que se inicia são bem diferentes das de um ano atrás: o combate à inflação ganha prioridade, aqui e no exterior, enquanto o foco há um ano era recuperar a atividade econômica.

Uma das poucas similaridades com o início de 2021 é a preocupação com o Covid-19, agora em meio à variante ômicron, muito mais contagiosa que as anteriores. Porém, aparentemente menos ameaçadora, tornando-a menos perniciosa à atividade econômica. Para o Brasil, isso pode significar algo positivo, pois não prejudicaria tanto o comércio exterior e o consumo de commodities, nossa principal pauta de exportação.

As medidas de combate à inflação vão se acentuar ao longo do ano, particularmente nos EUA, onde os juros devem começar a subir em poucos meses. Isso vai funcionar como um aspirador do dinheiro global em direção aos EUA. Para proteger suas moedas e suavizar a perda de investimentos, muitos países também vão subir suas próprias taxas de juros. Essa é uma tendência geral importante do cenário internacional em 2022 e anos seguintes: juros globais mais altos e, por consequência, dólar mais forte. A China está em outra fase, sendo a única economia relevante que vai trabalhar na ponta contrária, ou seja, reduzindo os juros em 2022 (o que é bom para as exportações de commodities brasileiras).

A inflação no Brasil bateu 10,06% em 2021, em parte fomentada pela forte desvalorização do real pós-pandemia. Diante de um cenário inflacionário perigoso, o Banco Central vem subindo os juros desde março/21: a taxa Selic começou 2021 em 2%, terminou o ano em 9,25% e não vai parar por aí, devendo estacionar em algum nível bem perto de 12%a.a., provavelmente em março.

Neste ano, teremos eleições presidenciais e legislativas no Brasil. Dadas as dúvidas sobre qual será a linha mestra da política econômica a partir de 2023, espera-se muita volatilidade na Bolsa e no câmbio, principalmente no 3º trimestre do ano. Os agentes econômicos tendem a agir com cautela. Juntando os juros altos e o baixo estímulo para consumir e investir, fica difícil ser otimista com o PIB, que deve crescer bem pouco este ano (menos de 1%). Nesse contexto, espera-se que a inflação finalmente perca fôlego e volte para a casa dos 5% aproximadamente no acumulado de 2022. 

No período pós-Real, o CDI foi o campeão de rentabilidade por muito tempo. Tanto que, nos 20 anos terminados em 31/12/21, a rentabilidade bruta do CDI (780%) foi superior à do Ibovespa (672%) e 5,5 vezes à do dólar (141%). Mas recentemente a coisa não foi bem assim: terminamos o ano passado com juros reais negativos pelo 2º ano consecutivo (juros descontados da inflação). Com o CDI acumulado em 4,42% contra um IPCA de 10,06% podemos dizer que os juros tomaram uma verdadeira “surra” da inflação em 2021, maior inclusive que a sofrida em 2020.

Agora que o CDI está às portas de retornar ao apogeu dos dois dígitos, há boas razões para apostar que o CDI voltará ao topo do pódio, pelo menos neste ano. A se confirmarem as previsões do mercado para o IPCA do ano (perto de 5%), o CDI deverá proporcionar juros reais ex-post ao redor de 6% em 2022. Então é a vez de aproveitar esse “bom momento” do CDI e manter uma parcela elevada dos investimentos em renda fixa, seja qual for o seu perfil de investidor, mas principalmente para os de Perfil Conservador. Afinal, não é sempre que podemos ter o privilégio de auferir rendimentos elevados com baixo risco.

Mas também enxergamos formas de buscar retornos ainda maiores para os investidores mais ousados, e as soluções dependem do tamanho da ousadia e da tolerância a perdas de cada um.

Na linha dos fundos Multimercados, vemos com bons olhos um grupo seleto de gestores Macro, mais afeitos a operar os ciclos de política monetária. Dada a complexidade do cenário deste ano, a hora é de dar mais peso para os gestores mais experientes e com bom histórico em momentos adversos, o que vale também para os demais estilos de multimercados, como os fundos

Quantitativo e Long & Short.

Diante de um “mix” macro e microeconômico desafiador em 2022, aumentou muito o grau de complexidade para as análises dos gestores de fundos de Renda Variável. Vemos uma tendência pela busca de ações em setores menos afetados, como o consumo básico e os setores elétrico e financeiro. Há também no pipeline desses gestores as ações ligadas a commodities, apostando na sustentação da atividade chinesa. Seletividade é o nome do jogo nessa categoria de ativos.

Os fundos de estratégia Internacional apresentaram majoritariamente retornos positivos em 2021, mas em 2022 o investidor precisará ficar mais atento na hora de escolher suas aplicações nessa categoria. O dólar tende a oscilar muito ao longo do ano e pode acabar agregando mais ruído do que rentabilidade ao valor aplicado. Além disso, as ações do principal mercado internacional, os EUA, destino prioritário dos fundos internacionais oferecidos no Brasil, começaram o ano perto de suas máximas históricas e sofreram pesadas baixas nas primeiras semanas do ano, refletindo principalmente a alta de juros contratada pelo banco central americano, o FED (Federal Reserve). Prefira fundos que operam mais com valor relativo na renda variável e duration mais curto na renda fixa.

Reforçamos que o Daycoval Investimentos possui uma ampla gama de produtos, na qual se inserem:

  • a nossa prestigiosa plataforma aberta de Fundos de Investimentos, com gestores de alto gabarito, inclusive os fundos da Daycoval Asset Management;
  • a nossa robusta oferta de Renda Fixa, composta por títulos e valores mobiliários criteriosamente selecionados, inclusive as emissões do Banco Daycoval;
  • os nossos cuidadosos serviços de Bolsa, especializados na corretagem de ações, derivativos, fundos imobiliários e demais ativos negociados na B3.

O cliente Daycoval nunca está sozinho nessa jornada, muito pelo contrário, ele conta com gerentes e especialistas preparados para auxiliá-lo na sua alocação de recursos e na seleção dos produtos que melhor correspondam à busca de seus objetivos de retorno, sempre dentro dos requisitos de risco e liquidez aplicáveis caso a caso.

Acompanhe nossas postagens nas diversas mídias sociais para se manter bem informado e para investir com confiança, hoje e sempre.

Privacy Settings
We use cookies to enhance your experience while using our website. If you are using our Services via a browser you can restrict, block or remove cookies through your web browser settings. We also use content and scripts from third parties that may use tracking technologies. You can selectively provide your consent below to allow such third party embeds. For complete information about the cookies we use, data we collect and how we process them, please check our Privacy Policy
Youtube
Consent to display content from Youtube
Vimeo
Consent to display content from Vimeo
Google Maps
Consent to display content from Google
Spotify
Consent to display content from Spotify
Sound Cloud
Consent to display content from Sound