ENTRETENIMENTO

Vai investir? Antes, entenda o que é rentabilidade e faça a melhor escolha

Como em tudo na vida, para fazer algo bem feito, é preciso aprender e se envolver com o tema. Para investir bem, não é diferente. É preciso estabelecer objetivos e prazos para o investimento, calcular seus riscos, para só então definir a rentabilidade desejada. Por exemplo: vale a pena ter a possibilidade de dobrar seus recursos para os gastos do dia a dia em um curto período de tempo, se o risco envolvido for perder tudo? 

Um objetivo de investimento bem definido é aquele que se mostra viável no tempo almejado e que, em paralelo, é compatível com a realidade patrimonial e com o perfil de risco de cada um.  A rentabilidade é a variável-chave de tudo isso.

Mas você sabe o que é rentabilidade e como é feito esse cálculo? O Daycoval preparou aqui algumas dicas para quem está entrando no mundo dos investimentos, ou mesmo para quem já o conhece bem mas quer relembrar os fundamentos financeiros.

O que é rentabilidade?

A rentabilidade de um investimento é o percentual de valorização de uma aplicação financeira em relação ao montante investido e pelo tempo investido. Por exemplo, para saber qual a sua rentabilidade, basta dividir o valor do investimento inicial total pelo resultado obtido ao final do prazo da operação. O resultado é a taxa de retorno ou rentabilidade do investimento.

Como calcular a rentabilidade?

Entendido o conceito, isso se torna simples. Algumas variáveis precisam ser levadas em conta. Umas das grandes utilidades de se saber calcular a rentabilidade é poder comparar investimentos de diferentes riscos e retornos, além de poder avaliar o desempenho de um investimento com outros índices como, por exemplo, a inflação do mesmo período. Essas comparações são altamente desejáveis para se fazer uma boa opção de investimento. 

O cálculo básico da rentabilidade considera a divisão do lucro (de determinado período) pelo valor que foi investido inicialmente. Por exemplo, se a pessoa investir R$10.000 e tiver um retorno de R$ 1.500, a rentabilidade será de 15%.

Importante! Rentabilidade é sempre o percentual de retorno.

O conceito de rentabilidade permite que se calcule o resultado esperado de um investimento. Para tanto, deve-se ir além dos juros simples, pois as taxas dos investimentos, em geral, funcionam com juros compostos (sobre o valor acumulado). Para isso, devem ser considerados o valor investido, a taxa de juros e tempo de investimento.

Outra questão envolvendo o cálculo da rentabilidade é o que incide sobre o investimento além da valorização, por exemplo: tributos, taxas e emolumentos. Nesses casos, a fórmula ideal para chegar à taxa de rentabilidade é partir do rendimento líquido, ou seja, já descontados os impostos, taxas e emolumentos incidentes sobre aquele investimento. Na prática, para um investimento de R$ 8.500, que teve rendimento de 1.250, tendo apenas a cobrança de Imposto de Renda (17,5%), sem cobrança de taxas, teríamos um rendimento líquido de R$ 1.031,25. Para se chegar à rentabilidade, a conta é: R$ 1.031,25 / R$ 8.500 = 12,13%.

Rendimento e rentabilidade são a mesma coisa?

Não. Conforme já explicamos, a rentabilidade é um percentual. Ela é a taxa de retorno sobre o capital investido. Já o rendimento é a remuneração que o investidor receberá ao final da aplicação. Ou seja, nos casos dos exemplos acima, o rendimento do capital de R$ 10.000 foi R$ 1.500, com rentabilidade de 15%. Já no segundo caso, para um investimento de R$ 8.500 o rendimento líquido foi de R$ 1.031,25, uma rentabilidade de 12,13%.

Rentabilidade e liquidez, qual a diferença?

Muita gente também confunde rentabilidade com liquidez. Relembrando, rentabilidade é a taxa de retorno sobre um investimento. O conceito de liquidez se refere ao tempo de conversão do investimento em dinheiro. Ou seja, quanto mais rápido e fácil transformar um ativo em dinheiro, maior é a liquidez. Em muitos casos, prazos de liquidez mais longos estão associados a ativos de maior risco, ainda que isso não seja uma regra.

Tipos de rentabilidade

  • De acordo com a análise e a comparação que se queira fazer, é comum classificar a rentabilidade em determinados tipos. As mais comuns são as seguintes:
  •  Rentabilidade nominal: calculada a partir do rendimento total sem descontos de taxas e impostos; 
  • Rentabilidade real: rentabilidade descontada a variação da inflação;
  • Rentabilidade líquida: calculada a partir do rendimento já com as deduções de taxas e impostos. 

Qual a importância de calcular a rentabilidade?

Para quem investe e busca bons retornos, é fundamental fazer diagnósticos que levem em conta a rentabilidade dos ativos em que se investe ou se pretenda investir. Mas é importante ter em mente que, no mundo dos investimentos, as coisas são dinâmicas e precisam ser interpretadas com a devida contextualização. Um investimento que foi considerado bom no passado por conta de sua rentabilidade não será necessariamente um bom investimento no presente. Isso vai depender da conjuntura e dos níveis atuais das taxas de juros e/ou da inflação. 

Ficou claro? Se quiser saber mais, consulte a equipe de atendimento do Daycoval.

Privacy Settings
We use cookies to enhance your experience while using our website. If you are using our Services via a browser you can restrict, block or remove cookies through your web browser settings. We also use content and scripts from third parties that may use tracking technologies. You can selectively provide your consent below to allow such third party embeds. For complete information about the cookies we use, data we collect and how we process them, please check our Privacy Policy
Youtube
Consent to display content from Youtube
Vimeo
Consent to display content from Vimeo
Google Maps
Consent to display content from Google
Spotify
Consent to display content from Spotify
Sound Cloud
Consent to display content from Sound