Dinheiro & Você

8 Dicas para ensinar educação financeira para crianças

Você já se surpreendeu alguma vez com a capacidade de uma criança aprender e repetir uma ação? Provavelmente, a sua resposta foi sim. Crianças são verdadeiras esponjas prontas para absorver novas informações e transformá-las em hábitos que as acompanharão por toda a vida. Por isso, a infância é o momento ideal para ensiná-las sobre aspectos importantes da vida. E uma delas é a relação com o dinheiro.

Já parou para pensar em quais exemplos você dá para o seu filho quando o assunto é finanças? Começou a ensinar formas práticas de lidar com o dinheiro? Continue lendo este artigo e confira dicas práticas para investir na educação financeira dos pequenos.

Importância da educação financeira

Educação financeira para crianças pode ser a garantia de uma sociedade mais preparada para uma relação mais saudável com o dinheiro. A ideia de trazer conceitos econômicos para a rotina dos pequenos parece simples, mas, na verdade, é um dos maiores desafios para as famílias. Muitas escolas já começam a trabalhar de maneira mais direta esse envolvimento na matemática cotidiana.

O Brasil possui, segundo pesquisa da S&P Ratings Service, uma taxa de alfabetizados financeiramente entre 25% e 34%, percentual baixo se comparado aos Estados Unidos, onde esses números variam entre 50% e 75%. Esse índice mostra uma tendência de maior desenvolvimento econômico onde o uso dos recursos é feito de forma planejada. Além disso, no Brasil, há um número elevado de pessoas que usam crédito sem planejamento, o que muitas vezes resulta em inadimplência. Por isso, a educação financeira infantil é tão importante.

Pensando em colaborar com esse aprendizado, o Daycoval separou aqui algumas dicas para ajudar as famílias a começar desde cedo a ensinar as crianças como gerenciar a vida financeira, lições de como saber usar de forma planejada e consciente o dinheiro.

  1. Explique o que é dinheiro e abuse das brincadeiras

O primeiro grande desafio de ensinar as crianças a gerenciar seus recursos financeiros é explicar a elas — dependendo da faixa etária –, o que é dinheiro e porquê é tão importante usar a moeda de forma racional. Inicialmente, a dica é trabalhar com a administração do tempo das brincadeiras. Quando já souberem contar, fazer atividades que envolvam operações matemáticas simples e que garantam a eles o entendimento lógico do tema. Usar jogos tradicionais adaptados ao assunto também pode ajudar.

Os jogos podem envolver a gestão do próprio espaço doméstico, como o controle das luzes e equipamentos elétricos ligados sem uso. O uso racional de alimentos sem desperdício ou de materiais de limpeza. Dessa maneira, é possível trabalhar conceitos de limites como: “não posso gastar mais do que possuo” e “se gastar sem controle, existirão consequências”.

  1. Dê uma mesada educativa e ensine limites

Estabeleça uma “mesada, quinzenada ou semanada educativa” como forma de dar ao pequeno a ideia de que o recurso é limitado e que para usar é preciso pensar em prioridades e necessidades. Ah, se a criança gastar todo o dinheiro antes do período do próximo repasse, não faça adiantamentos, pois em educação financeira infantil é fundamental ensinar que esses valores são limitados.

  1. Ensine a poupar e lidar com imprevistos

Ensine que o gerenciamento da mesada deve garantir uma “reserva de emergência” ou mesmo um percentual de poupança, para que eles possam, com os próprios recursos, comprar brinquedos ou passeios que desejam fazer. Aqui entra o conceito de tempo para atingir as metas estabelecidas.

  1. Exemplifique a relação entre tempo x esforço x dinheiro

Explique às crianças que a remuneração por um trabalho é resultado de uma equação que envolve a dedicação e o emprego do tempo de uma pessoa, e que usar o dinheiro de forma consciente também pode resultar em mais tempo para desfrutar com diversão.

  1. Mostre que nem tudo é recompensado com dinheiro

Uma dica importante é jamais associar o pagamento de mesadas a recompensa por boas notas ou tarefas cumpridas, pois cabe a criança entender que ela tem direitos e deveres.

  1. Ajude a diferenciar o necessário do dispensável

Ensine a diferença entre necessário e supérfluo, assim a criança conseguirá fazer escolhas a partir de critérios lógicos e tomar decisões inteligentes sobre o uso do dinheiro.

  1. Incentive a construção de objetivos

Na educação financeira infantil é primordial que as crianças aprendam sobre reserva financeira, com o horizonte de objetivos de curto, médio e longo prazo. Uma sugestão é fazer uma planilha ou porquinhos com as seguintes divisões: investimento (longo prazo), poupança (médio  prazo), gastos (curto prazo) e doações.

  1. Compartilhe as finanças da família

A participação das crianças em decisões financeiras da casa é importante para o entendimento das finanças. Convide os pequenos para participar das discussões. Inclua os jovens e adolescentes no lançamento dos gastos familiares com despesas como água, luz, condomínio ou mesmo as mensalidades escolares. A realidade é sempre aliada de um bom aprendizado.

Gostou das dicas? O Banco Daycoval valoriza o bem-estar das pessoas e, por isso, investe na conscientização de todos sobre a importância de planejar seus gastos e seus projetos para que todos tenham uma relação mais saudável com o dinheiro. Visite o nosso site.

Privacy Settings
We use cookies to enhance your experience while using our website. If you are using our Services via a browser you can restrict, block or remove cookies through your web browser settings. We also use content and scripts from third parties that may use tracking technologies. You can selectively provide your consent below to allow such third party embeds. For complete information about the cookies we use, data we collect and how we process them, please check our Privacy Policy
Youtube
Consent to display content from Youtube
Vimeo
Consent to display content from Vimeo
Google Maps
Consent to display content from Google
Spotify
Consent to display content from Spotify
Sound Cloud
Consent to display content from Sound