INVESTIMENTOS

Entenda o impacto do IR e IOF em seus investimentos

Quando realizamos um investimento, muitas vezes, verificamos que a rentabilidade é afetada pela incidência de Impostos. Com isso, reduz-se o ganho que estimamos ter.

Neste artigo, vamos abordar a aplicação de IR e IOF nos investimentos e como influenciam na rentabilidade. Inclusive, mencionando aquelas com e sem incidência desses impostos. E, finalmente, como devemos agir a respeito dessas aplicações para melhorar os rendimentos.

 

O impacto da tributação

A carga tributária no Brasil é bastante elevada, representando mais de 35% do PIB – Produto Interno Bruto, e incide sobre diversas bases da economia. Esse fato representou uma arrecadação total de impostos para o ano de 2017, de mais de R$ 2 trilhões, com expectativa de aumento de arrecadação para 2018.

Dessa forma, também em muitos tipos de aplicações financeiras ocorrem a incidência do imposto de renda (IR) e o imposto sobre operações financeiras (IOF). Todos, evidentemente, impactando diretamente sobre os rendimentos auferidos pelos investimentos realizados.

A incidência desses impostos depende do tipo de aplicação realizada e deve ser bastante avaliada para que se possa definir o melhor investimento a se fazer.

 

A incidência de IR e IOF

A aplicação de IR e IOF ocorre mediante critérios específicos para incidência sobre as aplicações financeiras. Portanto, é bem importante entender como se calcula sua incidência.

O Imposto de Renda considera alíquotas incidentes sobre os rendimentos apurados. Esses percentuais levam em conta ainda o prazo de aplicação e resgate. Assim, o valor do investimento principal não tem tributação, mas sim os lucros auferidos a partir desses.

O Imposto sobre Operações Financeiras incide, por sua vez, sobre os resgates realizados antes de 30 dias após a aplicação. É proporcional ao tempo em que os valores foram investidos. Possui alíquotas regressivas, que se reduzem à medida que o investimento é mantido.

Nesse caso, deve ser observado se a cobrança do IOF será considerada por um valor fixo ou sobre a rentabilidade alcançada, para evitar valores de descontos maiores, sendo ideal que se mantenham aplicações por períodos superiores a 30 dias, para evitar a possibilidade de que os ganhos sejam zerados.

 

Aplicações isentas de tributação

Importante mencionar que nem todos os investimentos estão sujeitos a aplicação de IR e IOF. Isso é um fator a ser verificado, quando se considera a rentabilidade que se espera de uma aplicação financeira.

Os investimentos a seguir são isentos desses impostos:

  • Caderneta de poupança;
  • LCI – Letra de Crédito Imobiliário;
  • LCA – Letra de Crédito do Agronegócio;
  • CRI – Certificado de Recebíveis Imobiliários;
  • Debêntures incentivadas;
  • CRA – Certificado de Recebíveis do Agronegócio.

São seguros e devem ser considerados, quanto à comparação de rentabilidade entre eles, para se definir a melhor opção de investimento.

 

Aplicações com tributação

Existe aplicação de IR e IOF sobre os investimentos em títulos de renda fixa e outras opções, como:

  • CDB – Certificados de Depósitos Bancários;
  • RDB – Recibos de Depósitos Bancários;
  • Tesouro Direto;
  • Letras de Câmbio;
  • Fundos de investimento;
  • Títulos de renda fixa;
  • Previdência privada;
  • Ações e dividendos;
  • ETFs – Exchange Traded Funds;
  • Aplicações em mercados futuro, de opções e a termo.

Além disso, é importante frisar que as aplicações podem ter cobranças de taxas conforme suas características.

 

Como são aplicados

O Imposto de Renda considera tabela de incidência regressiva, conforme o prazo de aplicação, sendo observadas as seguintes alíquotas:

  • Até 180 dias de investimento, 22,5%;
  • De 181 a 360 dias de investimento, 20%;
  • De 361 a 720 dias de investimento, 17,5%;
  • Acima de 720 dias, 15%.

O Imposto sobre Operações Financeiras considera uma tabela de dias de aplicação com variação de cobrança de 96% sobre o rendimento obtido para resgate com 1 dia, até 3% sobre o resgate com 29 dias.

Após esse prazo, o IOF não incide mais sobre os rendimentos da aplicação efetuada.

A aplicação de IR e IOF é feita automaticamente e descontados diretamente na fonte, sem a necessidade de recolhimento por parte do investidor.

Veja abaixo na tabela, um caso prático de aplicação:

 

Considerações finais sobre aplicação de IR e IOF

Conforme descrito neste artigo, é fundamental considerar a preocupação com o tipo de aplicação a ser realizada e também a incidência de aplicação de IR e IOF para evitar perdas maiores quanto à rentabilidade dos investimentos.

Nesse contexto, ter uma assessoria capaz de efetuar estas orientações é fundamental para garantir um retorno adequado de seus recursos. O Banco Daycoval pode lhe atender, faça contato conosco e confirme essa facilidade!

Privacy Settings
We use cookies to enhance your experience while using our website. If you are using our Services via a browser you can restrict, block or remove cookies through your web browser settings. We also use content and scripts from third parties that may use tracking technologies. You can selectively provide your consent below to allow such third party embeds. For complete information about the cookies we use, data we collect and how we process them, please check our Privacy Policy
Youtube
Consent to display content from Youtube
Vimeo
Consent to display content from Vimeo
Google Maps
Consent to display content from Google
Spotify
Consent to display content from Spotify
Sound Cloud
Consent to display content from Sound