Marcação a mercado: qual é o seu impacto nos investimentos?

Com investimentos mais acessíveis e mais interesse dos brasileiros em valorizar seus respectivos patrimônios, o mercado financeiro também se movimenta. E no sentido de garantir mais eficiência e confiabilidade às pessoas, mecanismos específicos foram elaborados. E um deles é a marcação a mercado.

Essa é uma medida que visa a atualização diária dos investimentos. Uma excelente maneira para o monitoramento de resultados e conseguir antecipar qualquer questão que vá afetar (positiva ou negativamente) a sua carteira.

Se você tem investimentos em renda fixa, vale a pena aprender mais sobre a marcação a mercado. E, ao longo deste post, vamos explicar tudo o que você precisa saber a respeito dela. Confira!

O que é marcação a mercado?

marcação a mercado

A Marcação a Mercado (MaM) é a atualização diária do valor de seus títulos de renda fixa no mercado naquele momento, o que não afeta as condições contratadas se o título for levado até a data do seu vencimento, mantendo-se assim a rentabilidade contratada.

Desta forma, você saberá exatamente quanto receberá caso decida vender o título em uma data anterior ao vencimento, já que a MaM mostra a precificação dos papéis de acordo com as negociações no mercado. E é esse valor que será usado como base para a liquidação financeira, podendo ser maior ou menor que a rentabilidade esperada.

Como funciona a marcação a mercado?

O valor diário atribuído a um determinado título é formado pelas expectativas dos investidores naquele momento. 

Essas expectativas são pautadas por diversos fatores, como a relação entre oferta e demanda, liquidez, inflação, projeções para a Selic, além de acontecimentos políticos e econômicos.  

As variações diárias podem ocorrer tanto para cima quanto para baixo. Por isso, se você pretende resgatar um título antes do vencimento, deve ficar muito atento a essa precificação.

Já quem vai manter o título até o vencimento não precisa se preocupar com a marcação a mercado, pois receberá a rentabilidade contratada na aplicação, quando houver a liquidação do ativo.

Vejamos um exemplo:  

Imagine que você comprou hoje um título do Tesouro Prefixado (LTN) com vencimento para 2025. Você fez a aquisição do papel com a taxa pré-fixada de 15% e, se esperar até o vencimento, vai receber os rendimentos proporcionais.  

Contudo, vamos supor que a projeção da Selic para 2023 seja bem abaixo de 15%. Esse cenário, tornaria o seu papel mais atrativo do que os títulos vendidos pelo governo no momento, justamente por pagar mais juros, o que resultaria na valorização do seu papel, caso você decida vende-lo antes do vencimento.  

A marcação a mercado já acontece diariamente para alguns produtos, como títulos do Tesouro Direto e os fundos de investimentos.

Quais tipos de investimento interferem na marcação a mercado?

Agora que já deve ter dado para entender o que é a marcação a mercado, dá para aprofundar-se no tema para avaliar quais são os seus impactos.

Ou seja: quais investimentos estão associados a esse conceito e como isso influencia na sua tomada de decisão para a escolha de investimentos.

Nos tópicos abaixo, portanto, você vai ter uma perspectiva mais clara sobre o mercado financeiro e pode, com isso, planejar-se com muito mais assertividade. Confira!

Renda fixa

Sem dúvidas, os investimentos de renda fixa estão intimamente ligados à marcação a mercado. Isso porque, seus efeitos são percebidos nos índices que mais influenciam no valor desses ativos, sejam eles:

  • títulos prefixados;
  • títulos pós-fixados;
  • títulos híbridos.

Pode ser que algumas aplicações sejam mais ou menos afetadas — como no caso dos títulos híbridos. Além disso, os ativos prefixados têm um indicador de referência que vai ser mais influenciado, também, no preço final da aplicação.

Isso se deve à taxa fixa e já definida para cada aplicação. Com isso, fica mais sujeita a algum tipo de oscilação. Especialmente, em casos de ativos de longo prazo. Afinal, isso costuma gerar uma incerteza ainda maior com relação às previsões do mercado financeiro.

Ainda assim, são os resgates antecipados de ativos que mais tendem a ser impactados pela marcação a mercado. Pois os valores atualizados serão aplicados se a solicitação de resgate acontecer antes do vencimento do título.

Agora, se o resgate se concretizar apenas no vencimento da aplicação, serão respeitadas as condições já definidas no ato da aquisição dos títulos.

Dê uma conferida nos investimentos de renda fixa que estão mais sujeitos à marcação a mercado:

  • Certificados de recebíveis do agronegócio (CRA);
  • Certificados de recebíveis imobiliários (CRI);
  • Títulos públicos federais;
  • debêntures.

Fundos de investimento

Também vale observar a influência da marcação a mercado em fundos de investimento. E tanto os de renda fixa quanto de renda variável, uma vez que ambos podem ser impactados pela oscilação dos indicadores do mercado financeiro.

Para começar, a influência se dá no próprio preço das cotas, já que elas são avaliadas ao longo do último dia de cotização até o resgate do fundo.

E por que isso acontece? Simplesmente, como um mecanismo de precisão para o pagamento proporcional daquilo que foi investido e durante o prazo estipulado. Diferentemente do que acontecia até pouco tempo atrás, em que a movimentação de investidores (compra e venda dos títulos) afetava o preço dos papéis. Mas, atualmente, a divulgação diária dos preços se faz obrigatória — inclusive, por conta de uma determinação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Como vínhamos mencionando até aqui, esse acaba se tornando um dos diferenciais da marcação a mercado: a possibilidade de que cada investidor consiga acompanhar a evolução do ativo e tomar decisões conforme os seus respectivos objetivos.

Renda variável

Há quem pense que a marcação a mercado afete apenas os investimentos de renda fixa. O que não é verdade. Também pode haver incidência sobre a renda variável, uma vez que as decisões de investidores (na compra e venda de ativos) impactam diretamente os preços.

A marcação pouco tem a ver com isso, diretamente, mas a variação em si dos preços afeta o mercado como um todo. Pois pode espantar investidores de determinados ativos e atraí-los para outros.

O mesmo vale para os casos nos quais os indicadores de ativos de renda fixa ameaçam subir. São momentos assim que os títulos de renda fixa costumam valer (e pagar) mais e, com isso, alguns investidores são atraídos pela modalidade, afetando o preço médio de ativos de renda variável.

Quais são as vantagens e desvantagens da marcação a mercado?

A partir de tudo o que vimos até aqui, você deve ter percebido que existem, sim, vantagens evidentes para o investidor acompanhar a marcação a mercado. A principal delas é o monitoramento dos preços, que são atualizados diariamente.

Mas é tudo um jogo de análises e alinhamento ao seu perfil e objetivos. Pois, assim, você ganha dados concretos para tomar decisões e, quem sabe, vender e compra os títulos no melhor momento possível.

Isso não exclui, logicamente, a exposição a riscos e incertezas. Mas é um passo a mais rumo à consolidação de decisões menos baseadas em palpites (o que nunca deve ser feito, considerando que é o seu patrimônio e a sua saúde financeira que estão em risco).

Transparência e confiabilidade na Bolsa de Valores se tornam vantagens da marcação a mercado, também. Algo que permite a redução de distorções sobre os preços de ativos, por exemplo.

Por outro lado, pontos de atenção devem ser levantados a partir da existência da marcação a mercado. Um deles é a própria abertura pública da oscilação de preços ao mercado. Muitos investidores tendem a se precipitar com as variações e, com isso, tomam decisões com base na aflição em perder parte do seu patrimônio.

Contudo, atenção: para investimentos de renda fixa, isso só se concretiza nos casos de resgate antecipado e no momento de desvalorização do ativo.

Como é a marcação para títulos do Tesouro?

No caso do Tesouro Direto pós-fixado, o que guia a variação da marcação a mercado são as projeções para os indexadores dos títulos, como a Selic e o IPCA.  

Já para Tesouro Direto prefixado, o que determina a valorização do título é a expectativa de queda da Selic, pois o papel estaria remunerando acima da taxa básica de juros.

Ao considerar a marcação a mercado, é comum pensar sobre a relação desse mecanismo com os títulos do Tesouro Direto. Na prática, o funcionamento ocorre de forma igual à dinâmica dos títulos privados de renda fixa, conforme o tipo de rentabilidade.

Para o Tesouro Prefixado, a marcação a mercado depende diretamente da Selic. Se a perspectiva for de abertura da curva de juros — ou seja, de aumento da taxa —, o título já existente se desvaloriza, pois pagará um valor menor que os títulos emitidos.

Como é a marcação para fundos de investimentos?

No caso dos fundos de investimentos, o que é ajustado é o valor da cota. O investidor que opta por sair do fundo, recebe o valor definido pela precificação do último dia de cotização do período do pedido de resgate.

Ou seja: a marcação a mercado vai atualizar o preço da cota diariamente. E o investidor pode tomar a sua decisão de compra ou venda a partir disso para lucrar mais ou estancar prejuízos.

Qual a diferença entre marcação na curva e marcação a mercado?  

Atualmente, a maioria das instituições financeiras e corretoras atualiza os preços dos investimentos de renda fixa por meio da marcação na curva, que é atualizada diariamente pela taxa contratada pelo investidor no momento da compra.

Para ilustrar, se o investidor comprou um título com a taxa de 12% ao ano, essa será a taxa aplicada pela instituição para mostrar o valor do investimento no momento, o que só faz sentido se a intenção for manter o papel até o vencimento.

Na prática, quem vê a marcação na curva e leva o título até o vencimento, vê a curva diariamente assim:

marcação a mercado

Já a marcação a mercado, como explicado acima, vê a curva diariamente assim:

Conclusão

A marcação a mercado foi elaborada para trazer mais segurança aos investidores e confiabilidade ao trabalho do mercado financeiro em geral.

Afinal, a atualização diária de preços traz uma base de dados mais completa aos investidores. Eles podem tomar decisões com base na oscilação de preços e buscar novas oportunidades para investir e lucrar (e minimizar perdas também).

Quer, agora, colocar os seus conhecimentos sobre a marcação a mercado em prática? Clique aqui e confira como o Daycoval pode te ajudar nos primeiros passos rumo ao mundo dos investimentos!

Recomendar Conteúdo:
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Quem leu essa matéria também gostou

Matérias mais lidas

Gostaria de receber novidades?

    Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

    WhatsApp
    LinkedIn
    Twitter
    Facebook

      Ei, tá curtindo o nosso Blog?

      Inscreva-se para receber as nossas novidades dicas financeiras exclusivas e conteúdo especial na sua caixa de entrada.


      Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.


      Obrigado por se inscrever!

        Ei! Espera um minutinho, por favor!

        Inscreva-se no Blog Daycoval para receber as nossas novidades, dicas financeiras exclusivas e conteúdo especial na sua caixa de entrada.


        Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.


        Obrigado por se inscrever!