Poupança x CDB: Descubra as Diferenças e Saiba qual é o Melhor para Investir!

Poupança A poupança é tão popular entre os brasileiros que praticamente virou sinônimo de guardar dinheiro. 

Acontece que entre poupar e investir, há uma grande diferença. Quem investe, vê o dinheiro se multiplicar. Quem poupa, nem sempre.

E é por isso que muita gente está pensando em alternativas para tirar o dinheiro da poupança e aplicar em algo que renda mais e, ao mesmo tempo, ofereça segurança e praticidade. Se você está lendo este artigo, provavelmente é o seu caso.

Para te ajudar a decidir, vamos explicar tudo sobre a poupança e sobre o CDB, que é um investimento de renda fixa seguro, acessível e mais rentável. Vamos lá?

Poupança ou CDB

O que é a poupança?

Para que você consiga fazer uma boa comparação, vamos começar entendendo um pouco mais sobre a poupança. Fundada em 1861 (Pasme!), a poupança é um tipo de conta bancária que paga um rendimento mensal em cima do dinheiro que você deposita.

Muito segura e com total liquidez, a poupança costuma atrair interessados em guardar dinheiro por sua praticidade e segurança, já que o seu manuseio é semelhante ao de uma conta corrente e o risco é muito baixo.

Por lei, os bancos são proibidos de cobrar taxas para abrir ou manter a poupança e todas as instituições oferecem a mesma rentabilidade.

Quanto rende a poupança?

Existem duas taxas que guiam o rendimento da poupança: a Taxa Selic e a Taxa Referencial (TR).

Quando a Selic está acima de 8,5%, que é o caso agora, a poupança paga 0,5% ao mês mais a Taxa Referencial. Com a Selic menor ou igual a 8,5%, o retorno passa a ser de 70% da Taxa Selic mais a TR.

Com a Selic a 10,75%, em março de 2024, o rendimento da poupança é de 0,5% + TR, o equivalente a 7,47% ao ano, ou 0,6022% ao mês.

Porém, o dinheiro aplicado só rende quando completa um mês de permanência na poupança, que é o chamado aniversário.

Por exemplo, se você fizer uma aplicação em 4 de janeiro e outra em 20 de janeiro, você recebe o rendimento da primeira aplicação no dia 4 de fevereiro e o da segunda no dia 20 de fevereiro ou no próximo dia útil.

Contudo, se a aplicação for feita nos dias 29, 30 e 31, o aniversário será no dia 1º do próximo mês. Dessa forma, apesar de você poder resgatar o dinheiro quando quiser, se não esperar o aniversário, perderá o rendimento do período.

Ainda que prática e segura, quando o assunto é rentabilidade, a poupança perde feio para outros produtos de renda fixa, como o CDB. E é por isso que vamos entender um pouco mais sobre este título.

O que é CDB?

Poupança ou CDB

O CDB (Certificado de Depósito Bancário) é um título de renda fixa emitido por bancos com o objetivo de captar recursos. Ao comprar o título, você empresta dinheiro para o banco e recebe juros, que é a rentabilidade do seu investimento.

Qualquer pessoa pode investir em CDB e é possível encontrar esses títulos em bancos dos mais variados portes. Em linhas gerais, bancos menores oferecem taxas mais atrativas e com total segurança.

Por sinal, segurança é uma das principais características desse tipo de investimento, já que conta com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos, o FGC. Esta entidade protege até o limite de R$ 250 mil por CPF investidos em CDB em cada instituição financeira, com teto de R$ 1 milhão em 4 anos.

Quanto rende o CDB?

A rentabilidade do CDB varia de acordo com o tipo do título. Veja a seguir:

Pós-fixado: este é o tipo mais comum de CDB, com a taxa de rentabilidade atrelada a um indexador econômico, como o IPCA, Selic, ou CDI. Nesta modalidade, o emissor paga um percentual do índice de referência utilizado, como, por exemplo, 110% do CDI. 

Como os indexadores sofrem variações de acordo com o cenário econômico, os rendimentos desses CDBs também variam na mesma proporção. Se o indicador sobe, o seu retorno aumenta. E o contrário também é válido. Sendo assim, é possível prever, mas não precisar qual será o valor recebido no vencimento.

Prefixado: neste caso a rentabilidade é fixa e é possível calcular o retorno exato antes mesmo de investir. O emissor oferece uma taxa previamente combinada, como 10% ano, e no vencimento do título, você resgata o valor combinado.

Híbrido: esta classe mescla a rentabilidade pós e prefixada, atrelando parte da rentabilidade a um indexador e outra a uma portagem fixa.

Quais os riscos de investir na poupança ou em CDB

Tanto na poupança quanto no CDB, o principal risco está relacionado à possibilidade de o banco declarar falência. Mas, com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), até neste cenário o investidor não perde o dinheiro.  

Ainda assim, antes de investir, é fundamental pesquisar sobre a saúde financeira da instituição financeira para evitar dor de cabeça.

No caso da poupança, também vale lembrar do episódio em que o ex-presidente Fernando Collor confiscou as aplicações de milhares de brasileiros.

Vantagens e desvantagens da poupança e do CDB

Poupança ou CDB

Agora você já sabe um pouco mais sobre a poupança e o CDB. Mas nada como analisar as vantagens e desvantagens de cada um para identificar qual é a melhor escolha para você. 

A seguir, o Banco Daycoval separou os principais prós e contras da poupança e do CDB. Vamos conhecê-los? 

Segurança 

Para começar, vamos falar sobre as vantagens e desvantagens de segurança dos CDBs e poupança. Vamos lá? 

CDB 

Igualmente na poupança, os CDBs também contam com a proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) até o limite de R$ 250.000 por CPF e por instituição financeira. 

Ou seja, isso é uma vantagem, uma vez que, em caso de falência do banco emissor, o valor investido estará protegido até o limite. 

A desvantagem é que se os seus investimentos excederem o limite de proteção do FGC, você estará sujeito ao risco de crédito da instituição. 

Então, em caso de falência do banco, o valor investido acima desse limite pode estar em perigo. 

Poupança

Igualmente aos CDBs, a poupança também é coberta pelo FGC até o limite de R$ 250.000 por CPF e por instituição financeira, garantindo a segurança do valor depositado. 

Por outro lado, apesar da poupança ser considerada um investimento seguro, a rentabilidade é tipicamente baixa, especialmente em cenários de queda da taxa de juros. 

Ou seja, isso significa que pode resultar em um crescimento mais lento do seu dinheiro ao longo do tempo. 

Impostos 

Agora vamos ver os prós e contras dos impostos do CDB e poupança! 

CDB 

A principal vantagem do CDB na questão de impostos é que ele é regido por uma tabela regressiva. 

Isso significa que quanto mais tempo você mantiver o investimento, menor será a alíquota de Imposto de Renda (IR) a ser pega sobre os ganhos. 

Ou seja, isso pode ser vantajoso a longo prazo, especialmente se você planeja manter o CDB por um período mais longo. 

No entanto, embora a alíquota de IR seja regressiva, os ganhos do CDB estão sujeitos a tributação. Quanto menor o prazo de investimento, maior será a alíquota de IR . 

Poupança 

Na poupança, os rendimentos são isentos de Imposto de Renda para pessoa física, o que pode ser uma ótima vantagem em comparação ao CDB, especialmente em prazos curtos. 

No entanto, embora não exista tributação sobre os rendimentos na poupança, sua rentabilidade é mais baixa do que outros investimentos. 

Como dito anteriormente, isso pode resultar em um crescimento mais lento do seu dinheiro ao longo do tempo. 

Liquidez 

Poupança ou CDB

Qual será a vantagem e desvantagens da liquidez dos CDBs e da poupança? Veja a seguir! 

CDB 

Os CDBs podem ser encontrados em uma grande variedade de prazos, desde os curtos até os mais longos. 

Isso significa que você pode escolher CDBs com liquidez diária, ou seja, que permitem resgates a qualquer momento. 

Todavia, também é possível optar por prazos maiores que geralmente oferecem taxas de juros mais atrativas. 

No entanto, os CDBs com prazos mais longos ou com benefícios fiscais específicos podem ter restrições de resgate, o que significa que você não poderá acessar seu dinheiro facilmente quando necessário.  

Poupança 

Já a poupança é conhecida por sua alta liquidez, o que significa que você poderá acessar seu dinheiro a qualquer momento sem enfrentar penalidades ou restrições significativas. 

Contudo, diferentemente dos CDBs, a poupança conta com uma rentabilidade mais baixa, como ressaltado anteriormente. 

Rentabilidade 

Agora que já sabemos como funciona a liquidez de ambos, vamos ver os prós e contras da rentabilidade. Veja a seguir! 

CDB 

Em geral, os CDBs tendem a oferecer taxas de juros mais atrativas em comparação com a poupança. 

Isso significa que você tem a oportunidade de obter uma rentabilidade mais significativa ao longo do tempo. 

Além disso, os CDBs estão disponíveis em diferentes taxas de juros e prazos, permitindo que você escolha a opção que melhor se alinha com seus objetivos. 

Com os CDBs também é possível contar com diferentes instituições financeiras ou com diferentes indexadores para diversificar a carteira

Porém, a desvantagem é que as taxas de juros podem variar ao longo do tempo, afetando a rentabilidade dos CDBs. 

Poupança

Já na poupança, a simplicidade é a maior vantagem no quesito de rentabilidade, uma vez que a conta é de fácil acesso, não precisando ter um conhecimento especializado. 

A liquidez é imediata, onde os rendimentos da poupança são creditados mensalmente e você pode sacar o dinheiro a qualquer momento sem enfrentar penalidades. 

No entanto, se a taxa de inflação for maior do que a rentabilidade da poupança, seu poder de compra poderá diminuir ao longo do tempo. 

Praticidade

Qual será que é a conta mais prática? CDBs ou poupança? Vamos ver! 

CDB 

Os CDBs possuem uma grande variedade de opções de prazos e com diferentes condições, permitindo que você escolha a que mais se adeque ao seu perfil.

Por conta disso, a desvantagem é que a variedade pode exigir um pouco mais de pesquisa e análise para encontrar CDBs que melhor atendam às suas necessidades. 

Poupança 

Na poupança, abrir e gerenciar uma conta é um processo simples e direto. Você pode realizá-lo em uma agência bancária ou online com mais facilidade. 

A poupança oferece uma alta liquidez, permitindo que você acesse seus fundos sempre que precisar, sem restrições significativas. 

Além disso, a maioria dos bancos e instituições financeiras oferecem contas de poupança, facilitando encontrar opções que se adequem ao seu perfil. 

A principal desvantagem vocês já sabem! É a rentabilidade limitada. Embora seja prática, a poupança tende a oferecer uma rentabilidade mais baixa em comparação ao CDB. 

Segurança do FGC: uma vantagem em comum!

Poupança ou CDB

Um fato que ambos compartilham é a segurança do FGC (Fundo Garantidor de Créditos). Essa é uma entidade privada, sem fins lucrativos, que assegura o investimento. 

Sua principal função é proteger os investidores em caso de instituições financeiras enfrentarem problemas financeiros, como a falência. 

Ele funciona como um mecanismo de segurança para resguardar os recursos dos correntistas e investidores, oferecendo uma cama de proteção ao sistema financeiro.

O FGC é uma instituição financeira criada em 1995, regulamentada pelo Banco Central do Brasil, para promover a estabilidade do sistema financeiro. 

Ele garante o reembolso de até R$ 250.000 por CPF e por instituição financeira. Caso a instituição financeira enfrente problemas, os investidores serão ressarcidos pelo FGC. 

No entanto, o Fundo de Garantidor de Créditos só tem a responsabilidade de devolver o montante investido até o limite estabelecido. 

Caso o investimento exceda o valor de restituição, o valor que está sobrando poderá estar comprometido.

Poupança x Inflação

A relação entre a poupança e a inflação é um aspecto crítico na análise de investimentos e preservação do poder de compra ao longo do tempo. 

Quando falamos de inflação, estamos nos referindo ao aumento contínuo e generalizado dos preços de bens e serviços na economia brasileira. 

Isso significa que, com o passar do tempo, a mesma quantia de dinheiro pode comprar menos do que podia anteriormente. 

Nesse cenário, a poupança, apesar de ser uma opção de investimento popular e de fácil acesso, pode ser afetada pela inflação de maneira significativa. 

Por isso, muitas das vezes, a rentabilidade da poupança não acompanha adequadamente a taxa de inflação, resultando no fenômeno chamado “perda de poder de compra”. 

Afinal, qual é o melhor para investir? CDB ou poupança?

Para escolher entre o CDB e a poupança, você precisa conhecer o rendimento real da inflação. Ou seja, é preciso descontar os impostos e a inflação. Com juros e inflação altos, a poupança tende a render abaixo da inflação, o que diminui o seu poder de compra. Na prática, você estará perdendo dinheiro, mesmo que veja algumas cifras subindo no extrato.

A poupança pode ser vista como um cofrinho. Aqueles em formato de porquinho. Ela só serve para guardar o seu dinheiro em um curtíssimo prazo e enquanto você não escolhe um investimento que fará o seu dinheiro render de verdade.

Se você quer ver o seu dinheiro se multiplicar, o primeiro passo é abrir uma conta de investimento, como no Daycoval, para ter acesso a uma série de produtos, inclusive os CDBs, que são seguros e rendem mais que a poupança, mesmo com o desconto do IR.

Pronto para dar adeus a poupança e ver o seu dinheiro render de verdade?

Poupança ou CDB

Conclusão 

Em comparação entre as duas opções, fica evidente que o CDB oferece mais vantagens de rentabilidade do que a poupança, tornando-se uma alternativa mais favorável.

Entretanto, é importante ressaltar a relevância contínua da poupança no cenário financeiro, uma vez que ela é uma escolha sólida para quem valoriza a simplicidade e liquidez diária. 

A escolha entre CDB e poupança é uma decisão individual que depende dos objetivos financeiros e preferências de cada pessoa.

Aqueles que priorizam busca por maiores rendimentos podem optar pelo CDB. Já aqueles que valorizam a acessibilidade imediata, a poupança pode ser uma ótima alternativa.

A decisão entre ambas modalidades deve ser feita com cautela, considerando as necessidades pessoais, planos futuros e o apetite pelo risco. Gostou deste conteúdo? Então, para ficar antenado às novidades do mercado financeiro, acompanhe o blog do Banco Daycoval!

Recomendar Conteúdo:
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Quem leu essa matéria também gostou

Matérias mais lidas

Gostaria de receber novidades?

    Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

    WhatsApp
    LinkedIn
    Twitter
    Facebook

      Ei, tá curtindo o nosso Blog?

      Inscreva-se para receber as nossas novidades dicas financeiras exclusivas e conteúdo especial na sua caixa de entrada.


      Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.


      Obrigado por se inscrever!

        Ei! Espera um minutinho, por favor!

        Inscreva-se no Blog Daycoval para receber as nossas novidades, dicas financeiras exclusivas e conteúdo especial na sua caixa de entrada.


        Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.


        Obrigado por se inscrever!