Categorias

Copom anuncia queda da Selic para 13,25%. Como fica a renda fixa?

Copom reduz Selic para 13,5

Em sua 256ª reunião, o Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu pelo corte da taxa básica de juros, a Selic, de 13,75% para o novo patamar de 13,25% a.a.

Queda na inflação

O IPCA divulgado em junho de 2023 foi de -0,08% e 3,16% foi o nível atingido na janela de 12 meses.

Esse patamar marca a 12ª queda no índice, considerando a janela de 12 meses, quando saiu de 11,89% em junho de 2022 e atingiu 3,16% na última divulgação.

Essa foi a primeira vez que a inflação recuou neste ano e esse cenário não era observado desde setembro de 2022, quando o índice apresentou queda de 0,29%.

Os setores que contribuíram para a queda da inflação em junho foram Alimentação e bebidas, Artigos de residência, além de Transportes e comunicação.

O visível arrefecimento da inflação e a melhora nas perspectivas inflacionárias percebidas pelo Banco Central permitiram a mudança de tom na condução da política monetária.

Após a convergência do IPCA para o intervalo de tolerância estabelecido pelo Conselho Monetário Nacional e as melhoras nos fatores que compõem o balanço de riscos na condução da política monetária, o corte foi realizado.

Como fica a renda fixa?

Nesse cenário de queda, mas com juros ainda elevados, os ativos de renda fixa permanecem como opções bastante atrativas. CDB, LCI, LCA, Títulos Públicos, Títulos de Crédito Privado e Fundos de Renda Fixa seguem proporcionando bons retornos aos investidores.

Porém, a diversificação se faz cada vez mais necessária para a manutenção de retornos atrativos.

Esse pode ser apenas o primeiro passo do início do ciclo de cortes na taxa de juros. Segundo o Boletim Focus divulgado pelo Banco Central, as expectativas do mercado sinalizam quedas nas taxas de juros, tanto em 2023 quanto nos anos subsequentes.

No contexto da queda recente e durante o ciclo de queda na taxa de juros, o mercado deve rotacionar aos poucos para outras opções de investimentos em busca de retornos atrativos.

Opções prefixadas, por exemplo, tendem a ganhar destaque, uma vez que o retorno não fica condicionado à dinâmica das flutuações da taxa Selic.

Top produtos para investir com a queda da Selic:

  1. Pós fixado:
    1. CDB Daycoval 110% CDI.
    2. LCA/LCI Daycoval até 96,5% CDI, sujeito a lastro.
  2. Prefixado:
    1. CDB Daycoval 1 ano 13% a.a.
Recomendar Conteúdo:
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Quem leu essa matéria também gostou

Matérias mais lidas

Gostaria de receber novidades?

    Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

    WhatsApp
    LinkedIn
    Twitter
    Facebook

      Ei, tá curtindo o nosso Blog?

      Inscreva-se para receber as nossas novidades dicas financeiras exclusivas e conteúdo especial na sua caixa de entrada.




      Obrigado por se inscrever!