Categorias

Você sabe qual é o seu perfil de investidor? Leia e descubra!

Começar a investir é sempre um passo importante na vida de uma pessoa. Afinal, essa prática irá, literalmente, render muitos frutos.

Mas, ao contrário do que muita gente pensa, você não precisa se tornar um expert dos investimentos para conquistar bons resultados. É possível começar aos poucos e ir avançando conforme adquire conhecimento e prática.

Entretanto, ainda que você seja um iniciante no mundo dos investimentos, existem algumas informações que são muito estratégicas para se obter sucesso e não correr riscos desnecessários.

Uma delas é o conceito de perfil de investidor, que falaremos neste artigo. Continue a leitura e descubra o que é perfil de investidor, em qual você se enquadra e como isso pode potencializar os seus rendimentos.

O que é perfil de investidor?

O perfil de investidor é uma classificação que ajuda a identificar as suas expectativas com relação aos investimentos. É uma exigência da Resolução nº 30 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o órgão responsável por regular todo o ecossistema de investimentos.

Com base no seu perfil, é possível analisar quais são os ativos mais indicados para os seus objetivos, considerando especialmente pontos como a sua tolerância ao risco e o prazo esperado para o retorno.

Qual a importância de conhecer o seu perfil de investidor?

A definição de um perfil de investimento é essencial para criar uma estratégia de investimento personalizada e apropriada, levando em consideração os objetivos, tolerância ao risco e horizonte de tempo para cada indivíduo.

A identificação do perfil do investidor é importante por várias razões:

  • Alinhamento com objetivos: Ajuda a garantir que os investimentos estejam alinhados com os objetivos financeiros de curto e longo prazo do investidor.
  • Gerenciamento de risco: Ao conhecer a tolerância ao risco do investidor, é possível construir um portfólio que evite desconforto excessivo e perdas inesperadas.
  • Otimização de retornos: Um perfil adequado permite escolher os produtos de investimento que melhor se ajustam à busca de retornos dentro das expectativas do investidor.
  • Adequação legal e regulatória: Em muitas jurisdições, instituições financeiras são obrigadas a avaliar o perfil do investidor antes de oferecer determinados produtos financeiros, garantindo que sejam apropriados.

O que é considerado na definição do perfil?

Conhecer o perfil de investidor ajuda a otimizar os retornos e a gerenciar os riscos de forma eficaz.

Existem vários critérios que são levados em consideração ao definir um perfil de investimento, e os produtos recomendados para cada perfil variam de acordo com esses critérios. Alguns dos mais comuns são:

  • Horizonte de tempo: Refere-se ao período de tempo em que o investidor planeja manter seus investimentos antes de precisar do dinheiro. Perfis podem variar de curto prazo (até 2 anos), médio prazo (2 a 5 anos) e longo prazo (mais de 5 anos).
  • Tolerância ao risco: Avalia a disposição do investidor em aceitar a volatilidade dos mercados financeiros. Alguns investidores estão dispostos a aceitar riscos maiores em troca de maiores retornos, enquanto outros preferem investimentos mais estáveis, mesmo que os retornos sejam mais modestos.
  • Objetivos financeiros: Esses podem incluir aposentadoria, compra de imóveis, educação dos filhos, viagens, entre outros. Os objetivos financeiros afetam o prazo e a abordagem dos investimentos.
  • Conhecimento e experiência: Investidores com diferentes níveis de conhecimento e experiência podem ter abordagens diferentes para investir. Alguns podem estar mais confortáveis com investimentos complexos, enquanto outros preferem opções mais simples.

Como descobrir o perfil de investidor?

Também conhecido como suitability ou API (Avaliação de Perfil do Investidor), o perfil de investidor pode ser facilmente descoberto por meio de um breve questionário online que é aplicado no momento da abertura da sua conta de investimentos.

O processo é bem simples e dura poucos minutos. O objetivo do formulário é analisar questões como segurança, liquidez, tolerância a risco e rentabilidade esperada pelo investidor. Para isso, são feitas perguntas sobre a sua situação financeira, idade, conhecimento do mercado e seus objetivos.

Por meio das respostas, é possível traçar o perfil ao identificar quais pilares são mais relevantes para o investidor, já que é pouco provável encontrar esses três pontos presentes simultaneamente em um único investimento.

Sendo assim, no momento da escolha, você precisa abrir mão de determinados níveis de segurança, liquidez ou rentabilidade para alcançar os seus objetivos com sucesso. E é justamente o seu perfil de investidor que irá nortear esta tomada de decisão.

Se você preza pela segurança e visa retornos no longo prazo, é natural que abra mão de rentabilidades mais elevadas para não correr grandes riscos.

Já se você busca retornos maiores, não se importará com o risco de perder parte do seu capital para ter a chance de alcançar uma rentabilidade mais alta.

O mercado costuma classificar o perfil de investidor, de acordo com a recomendação da CVM, em 3 categorias: conservador, moderado e arrojado (também conhecido como agressivo). No entanto, cada instituição financeira, pode adotar alguma nomenclatura especifica para nomear os perfis ou até mesmo criar um número maior que os 3 mais comuns. Aqui no Daycoval adotamos estes três e vamos falar mais sobre cada um deles a seguir.

Perfil conservador

O investidor com perfil conservador é aquele que coloca a segurança em primeiro lugar. Por conta disso, ele prefere aplicações de baixo risco, ainda que não ofereçam grande rentabilidade.

O objetivo do investidor conservador é, geralmente, preservar o seu patrimônio. Costumam enquadrar-se nesse perfil pessoas com mais idade, que não querem arriscar o patrimônio acumulado ao longo dos anos, ou aqueles que estão começando a investir e preferem se familiarizar com o mercado antes de correr riscos maiores.

Perfil moderado

O perfil moderado é o meio termo entre o conservador e o arrojado. Ele mescla características desses dois perfis ao prezar pela segurança, mas, ao mesmo tempo, buscar retornos mais elevados.

O investidor de perfil moderado costuma ser mais experiente e ter mais conhecimento sobre o mercado que o conservador. Isso faz com que ele seja mais tolerante a riscos no longo prazo para melhorar a rentabilidade da sua carteira e acelerar o crescimento do seu patrimônio.

Seus investimentos são distribuídos entre a renda fixa, aplicações de risco médio, como os fundos multimercados e fundos long & short. São investidores bem dinâmicos e que sabem aproveitar o melhor de cada classe de ativos. 

Perfil arrojado

Como você já pode imaginar, o perfil arrojado é o mais tolerante ao risco nos investimentos. É claro que isso não significa aceitar perdas desnecessárias, mas sim aumentar a exposição em ativos mais voláteis que podem oferecer rentabilidades maiores.

O investidor arrojado costuma ter mais preparo técnico e emocional. Ele entende que eventuais prejuízos fazem parte da jornada e serão compensados com ganhos futuros. Por isso, destina boa parte de seu capital a investimentos em renda variável e acompanha o mercado constantemente para fazer alocações de maneira táticas e estratégicas.

Apesar de estar confortável com as intempéries da renda variável, o investidor arrojado mantém parte dos seus recursos em segurança na renda fixa, especialmente o montante que é destinado a reserva de emergência.

Mudança no Código de distribuição de Produtos de Investimento

A Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) atualizou o Código de Distribuição de Produtos de Investimento. A partir do dia 5 de setembro, entrará em vigor as mudanças nas regras de suitability.

A finalidade da alteração é direcionar o mercado para melhores práticas e garantir que o investidor receba recomendações adequadas ao seu perfil. Afinal, com o passar do tempo, a quantidade, a variedade e a complexidade dos produtos cresceram substancialmente.

Mas o que vai mudar?

A pontuação de risco dos ativos será atualizada para que cada produto de investimento tenha uma classificação própria.

Por exemplo, atualmente, a pontuação dos CDBs é dividida por papéis com vencimento em menos de três anos e mais de três anos. Após a atualização, essa classificação será ampliada com pontuações distintas para títulos com até dois anos, de dois a quatro anos, de quatro a seis, de seis a oito e acima de oito anos.

Além disso, a pontuação de cada uma dessas categorias, que era a cada 0,5 pontos, passa a ser a cada 0,25.

Também será atualizado o limite de risco tolerado pelo perfil conservador, que poderá aplicar em produtos com pontuação de 1,5 – atualmente, o limite é até 1.

Os critérios para que o cliente seja classificado como conservador também serão alterados e passam a incluir quem tem baixa tolerância a risco, precisa de liquidez e possui baixo conhecimento de mercado.

Os perfis moderado e arrojado seguem sem alterações, com pontuações máximas de risco de 3 e 5, respectivamente.

A atualização do código inclui também regras de suitability para produtos de investimento com criptoativos em carteira.

E o perfil de investidor pode mudar?

Com certeza! Com o passar do tempo, é esperado que o investidor ganhe confiança e experiência para explorar novos mercados de forma consciente e ampliar seus ganhos. Sendo assim, é possível alterar o seu perfil de investidor tão logo os seus objetivos e momento de vida sejam ajustados.

Até por este motivo, a CVM solicita para cada instituição financeira que peça ao seu cliente investidor para refazer o perfil no mínimo a cada 2 anos, já que neste período muita coisa pode mudar, não é mesmo?

Para alterar ou validar o seu perfil de investidor, basta refazer o seu teste de suitability na sua conta de investimentos. Você responderá novamente as perguntas do questionário e, se a sua tolerância a riscos tiver mudado, o perfil será atualizado.

Inclusive, em respeito às regulamentações, o perfil de investidor registrado na sua conta interfere na oferta de produtos que você tem acesso, ou seja, você só deveria investir em ativos que se enquadrem no risco aceito pelo seu perfil. 

Portanto, se você acredita que está preparado para explorar novos horizontes e o seu momento de vida e perfil tenham mudado, é fundamental refazer o teste para não perder nenhuma oportunidade.

Um ponto fundamental para a evolução do seu perfil de investidor é o conhecimento. Investidores mais tolerantes ao risco chegam a esse patamar por aprender mais sobre investimentos, o mercado e suas peculiaridades, os diferentes tipos de produtos e suas características, com objetivo de maximizar retornos e mitigar prejuízos. Não é à toa que se diz que investir em conhecimento é tão importante quanto em ativos financeiros.

Contudo, ser um investidor conservador não pressupõe falta de conhecimento. Uma pessoa experiente pode optar por investimentos de baixo risco com a finalidade de usufruir da renda passiva conquistada após a construção do patrimônio, por exemplo.

Entender sobre os investimentos é importante para todos os perfis de investidor. Mas seja qual for o seu perfil, você pode contar com a expertise da nossa equipe de assessores de investimentos para analisar os seus objetivos e recomendar a carteira ideal para você conquistar todos os seus objetivos e sonhos. Abra a sua conta de investimentos no Daycoval e conte com uma assessoria completa!  

Recomendar Conteúdo:
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Quem leu essa matéria também gostou

Matérias mais lidas

Gostaria de receber novidades?

    Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

    WhatsApp
    LinkedIn
    Twitter
    Facebook

      Ei, tá curtindo o nosso Blog?

      Inscreva-se para receber as nossas novidades dicas financeiras exclusivas e conteúdo especial na sua caixa de entrada.




      Obrigado por se inscrever!