Como deve ficar a Selic em 2023? Confira a análise do nosso economista-chefe

Na última reunião de 2022, o Copom (Comitê de Política Monetária) manteve a Selic, a taxa básica de juros da economia, em 13,75%.

Os últimos dois anos foram caracterizados por uma alta expressiva da taxa de juros. Em 2021, a Selic subiu mais de 7 pontos percentuais, passando de 2% para 9,25%.

Já em 2022, a continuidade do aperto monetário por parte do Banco Central levou a taxa aos atuais 13,75%, totalizando aperto de 4,5 pontos percentuais adicionais.

Até aqui, a velocidade e intensidade da alta da taxa de juros foram notórias. Entretanto, os impactos na economia real ainda estão se materializando lentamente.

Mas o que esperar para 2023?

De acordo com Rafael Cardoso, economista-chefe do Banco Daycoval, o esperado é que a atividade econômica aconteça de forma mais intensa no próximo ano.

“O aperto monetário realizado levou a taxa de juros para o patamar mais contracionista desde meados de 2015/16. Além disso, também resultou em um aperto das condições financeiras mais amplas, que consideram uma gama de indicadores financeiros, para patamares historicamente relevante. Neste sentido, a impressão é que o trabalho do Banco Central estava feito e que a desaceleração levaria a inflação em direção as metas”, relata Cardoso.

Neste contexto, que ainda é o cenário base, a taxa SELIC seria reduzida a partir de agosto de 2023, chegando em 11,75% ao final do ano. Entretanto, nas últimas semanas, as discussões em torno do futuro da política fiscal brasileira têm elevado a percepção de risco.

Segundo o economista, uma mudança do arcabouço fiscal que leve à insustentabilidade da dívida pública deve resultar em uma piora dos ativos financeiros e das expectativas de inflação.

A chamada PEC da Transição nos moldes iniciais propostos, sendo quase R$ 200 bilhões de gastos adicionais por tempo indeterminado, levaria a dívida pública a superar os 100% do PIB em período relativamente curto. Versões mais enxutas, com gasto em torno de 150 bilhões e prazo de dois anos, resultariam em uma trajetória pouco mais benigna.

“Entretanto, mesmo que a saída para a PEC da Transição seja razoável, as incertezas continuarão em alta. Isto porque é sabido que, em 2023, o arcabouço fiscal, de forma mais ampla, será rediscutido”, complementa Cardoso.

O Teto de Gastos, da forma com que foi aprovado em 2016, será revisto e, até lá, haverá poucos fatos concretos que ajudem a projetar a dívida nos próximos anos.

O economista continua: “sendo assim, acreditamos que essa incerteza fiscal deve perdurar durante grande parte de 2023, provavelmente ao longo de todo o primeiro semestre, impossibilitando que o Banco Central inicie o fim do ciclo de aperto monetário. E, mais do que isso, um novo arcabouço fiscal que não gere a percepção de sustentabilidade fiscal e eleve as expectativas de inflação pode levar, eventualmente, a novas altas da taxa de juros”.

Desta forma, ainda que o cenário base contemple a queda da taxa de juros em agosto de 2023, não se pode descartar a hipótese da redução da taxa Selic ocorrer ainda mais tarde e de forma mais lenta.

Também deve-se considerar o risco fiscal no sentido de levar a taxa SELIC a renovar o ciclo de alta. “O trabalho do Banco Central parecia feito, mas pelo visto teremos novos desafios adiante”, finaliza Cardoso.

Recomendar Conteúdo:
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Quem leu essa matéria também gostou

Matérias mais lidas

Gostaria de receber novidades?

    Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

    WhatsApp
    LinkedIn
    Twitter
    Facebook

      Ei, tá curtindo o nosso Blog?

      Inscreva-se para receber as nossas novidades dicas financeiras exclusivas e conteúdo especial na sua caixa de entrada.


      Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.


      Obrigado por se inscrever!

        Ei! Espera um minutinho, por favor!

        Inscreva-se no Blog Daycoval para receber as nossas novidades, dicas financeiras exclusivas e conteúdo especial na sua caixa de entrada.


        Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.


        Obrigado por se inscrever!