Categorias

Como funciona a previdência privada? Saiba se vale a pena!

como-funciona-previdência-privada

Garantir um porto seguro para a aposentadoria é o desejo de muitos brasileiros. Uma das principais formas de alcançar esse objetivo é o investimento em previdência privada.

Mas você sabe o que é e como funciona esse produto financeiro que pode fazer tanta diferença no seu futuro?

Neste artigo, você irá descobrir todos os detalhes desse tipo de investimento, além entender se esta é a melhor alternativa para o planejamento da sua aposentadoria. Boa leitura!

O que é previdência privada?

A previdência privada é um investimento de longo prazo que, além de servir como complemento para a aposentadoria, pode ser utilizado para cuidar de você e da sua família de variadas formas.

Diferentemente da previdência social, essa modalidade é mais flexível e oferece maior autonomia e personalização na gestão dos recursos.

Ao fim do período de acumulação, você pode tanto optar por receber uma renda mensal, como sacar o valor total  ou parcial, respeitando as regras do produto, para usar como quiser.

Muitas pessoas utilizam esse recurso para realizar um sonho, como fazer uma viagem, abrir um negócio e colocar em prática projetos pessoais.

Também é possível fazer um plano de previdência com a finalidade de arcar com as despesas da educação dos filhos.

Com o investimento periódico durante a infância, o jovem chegará aos 18 anos com um bom valor para sacar.

Além disso, os planos de previdência também podem ser usados como instrumento de sucessão familiar.

Em caso de falecimento do titular do plano, a família tem fácil acesso ao dinheiro da previdência porque este tipo de investimento não precisa passar pelo inventário.

Os recursos depositados em PGBL ou VGBL são liberados em até 30 dias após o falecimento, o que ajuda as famílias a se reorganizarem financeiramente.

Também há benefícios tributários que evitam a perda de patrimônio familiar.

Como funciona a previdência privada?

Em um plano de previdência privada, os participantes fazem contribuições regulares, construindo um fundo ao longo do tempo.

O dinheiro investido é alocado em diferentes instrumentos financeiros, visando obter rendimentos. Por sinal, a rentabilidade é um fator determinante para o crescimento do fundo.

No momento da aposentadoria, o participante pode resgatar o montante acumulado ou optar por receber uma renda mensal. Essa flexibilidade é uma das vantagens mais atrativas da previdência privada.

Quais os tipos de previdência privada?

A previdência privada se divide em duas categorias principais: PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) e VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre).

PGBL

O PGBL é ideal para quem faz a declaração completa do Imposto de Renda. Afinal, as contribuições podem ser deduzidas no momento da declaração, proporcionando benefícios fiscais no curto prazo. Vale destacar que o benefício só é válido até o limite de 12% da renda total tributável.

VGBL

Já o VGBL é mais indicado para quem faz a declaração simplificada. Embora as contribuições não sejam dedutíveis.

Esta opção também é indicada para quem está apto a aproveitar as deduções de um PGBL, mas deseja investir mais do que 12% da renda bruta tributável anual em previdência privada.

Planos de previdência abertos e fechados, quais as diferenças?

Dentro da categoria planos de previdência privada, existem duas estruturas distintas de gestão de recursos. São elas:

Planos abertos

Mantidos por seguradoras, os planos abertos de previdência são oferecidos por instituições como bancos, corretoras de investimentos e corretoras de seguros e estão disponíveis para qualquer interessado.

Neste tipo de plano, o investidor escolhe um fundo de investimento no qual serão aplicados os valores aportados mensalmente.

Lembrando que existe carência de 60 dias entre cada solicitação de resgate

Planos fechados

Já os planos fechados, geralmente ligados a empresas ou associações, são limitados aos membros de um grupo ou uma categoria específica de usuários, como professores e médicos, por exemplo.

Aqui, uma equipe de gestão exclusiva fica responsável por gerir o fundo que recebe os investimentos do grupo e, muitas vezes, não é possível realizar resgates antes da aposentadoria ou desligamento da empresa ou organização.

Além disso, assim como no PGBL, um plano de previdência fechado possibilita a dedução de 12% das contribuições da base de cálculo do Imposto de Renda.

Qual a tributação aplicada na previdência privada?

Assim como em outros investimentos, os rendimentos dos planos de previdência privada são sujeitos à tributação.

Sendo assim, conhecer os impostos que incidem sobre essa aplicação é fundamental para avaliar o impacto na rentabilidade.

Em todos os tipos de planos, quem investe em previdência privada deve pagar IR ao efetuar o resgate de recursos.

Isso vale tanto para quem vai sacar todo o dinheiro de uma vez quanto para quem recebe uma quantia mensalmente. Contudo, é possível escolher o tipo de tributação ao fazer a adesão ao plano.

Uma das possibilidades é a tributação progressiva, na qual há a cobrança de 15% de imposto no momento do saque e a diferença do tributo será compensada na declaração do Imposto de Renda.

Nesse caso, o investidor será enquadrado em uma determinada alíquota de IR após consideração de todas as rendas obtidas, inclusive rendas e resgates de previdência.

A compensação refletirá a diferença entre os 15% de IR pago na fonte, no resgate da previdência e a faixa de IR que o cliente se enquadrou. O limite da compensação será de 12,5%.

Já na tributação regressiva, que tem por objetivo estimular que a aplicação seja mantida por mais tempo, a alíquota do IR diminui com o passar dos anos.

Um ponto importante é que, em caso de aportes mensais, cada aplicação tem uma data de entrada. Logo, na hora do saque, cada fatia investida terá um percentual de imposto diferente. Confira a tabela abaixo:

tabela-previdência-privada

Ao analisar a tributação, é importante comparar a previdência privada com outras opções de investimento.

Entretanto, a escolha deve levar em conta não apenas a rentabilidade, mas também as vantagens fiscais.

Previdência privada: Vale a pena?

previdência-privada-vale-a-pena

Imagine alcançar a tranquilidade financeira que você sempre desejou, poder aproveitar a aposentadoria com segurança e realizar seus sonhos.

O caminho para um futuro financeiramente estável começa com o planejamento, e a previdência privada é a chave que pode destravar esse potencial.

Por que a previdência privada é uma ferramenta poderosa para ajudar você a atingir esses objetivos?

1. Aposentadoria confortável: O valor acumulado na previdência privada é como um porto seguro que você construiu ao longo dos anos. Quando chegar a hora da aposentadoria, você pode converter esse valor em renda regular, proporcionando o conforto financeiro que você merece.

2. Liberdade financeira: A previdência privada oferece a flexibilidade de escolher como deseja receber os benefícios. Pode ser em forma de pagamentos mensais, um pagamento único ou de outra maneira que atenda às suas necessidades.

3. Manutenção do padrão de vida: Aposentar-se não deve significar um declínio no seu padrão de vida. Com a previdência privada, você pode manter seu estilo de vida atual e até mesmo realizar sonhos que antes pareciam inatingíveis.

4. Realização de metas: Use o valor acumulado para realizar metas de longo prazo, como viajar, comprar uma casa ou investir em um negócio. A previdência privada fornece a base financeira para transformar esses sonhos em realidade.

5. Planejamento estruturado: A previdência privada permite que você planeje com antecedência, criando uma estrutura financeira sólida que lhe dá confiança para enfrentar a aposentadoria.

6. Segurança financeira: Saber que você tem uma fonte de renda estável no futuro oferece paz de espírito e segurança financeira, permitindo que você desfrute da aposentadoria sem preocupações.

7. Proteção para os beneficiários: Se você nomear beneficiários, pode garantir que seus entes queridos recebam os benefícios em caso de falecimento, fornecendo-lhes segurança financeira.

8. Benefícios fiscais: Possibilidade de pagar menos IR durante o período de investimentos se você possui renda tributável, contribui com o INSS e faz declaração de IR no modelo completo.

9. Acessibilidade: Independentemente de seu nível de renda, a previdência privada é uma ferramenta acessível que permite que qualquer pessoa construa seu próprio futuro financeiramente estável.

10. Renda duradoura: Seu valor acumulado pode ser convertido em uma renda duradoura que dura até o final da vida, proporcionando segurança mesmo em seus anos mais avançados.

A previdência privada é mais do que apenas um investimento, é um plano para o seu futuro. Ela proporciona segurança, realizações e liberdade.

Comece a investir no seu futuro hoje e dê um grande passo em direção a uma vida de prosperidade e tranquilidade.

Quer saber quanto você precisa investir para ter a renda que deseja na aposentadoria? Faça uma simulação.

Conclusão

previdência-privada-simulador

Ao navegarmos pelo vasto oceano da previdência privada, percebemos que cada onda de contribuição constrói um futuro mais seguro.

Seja escolhendo entre PGBL ou VGBL, planos abertos ou fechados, a chave está na compreensão profunda das opções disponíveis.

Vale a pena investir tempo na compreensão desse instrumento financeiro seguro e dinâmico. Bons investimentos!

Recomendar Conteúdo:
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Quem leu essa matéria também gostou

Matérias mais lidas

Gostaria de receber novidades?

    Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

    WhatsApp
    LinkedIn
    Twitter
    Facebook

      Ei, tá curtindo o nosso Blog?

      Inscreva-se para receber as nossas novidades dicas financeiras exclusivas e conteúdo especial na sua caixa de entrada.




      Obrigado por se inscrever!