CDB pré e pós-fixado: Saiba quais são as diferenças!

O-que-é-melhor-CDB-pré-ou-pós-fixado?

No cenário de investimentos, o Certificado de Depósito Bancário (CDB) é uma opção popular entre os investidores brasileiros, principalmente por conta de sua acessibilidade e segurança.

Porém, na hora de investir, mais do que escolher o título, é preciso estar atento ao tipo de rentabilidade que ele oferece. No caso de um CDB, ela pode ser prefixada ou pós-fixada, além de híbrida, que combina as duas opções.

Neste artigo, você irá entender em detalhes as modalidades de CDB pré e pós-fixado, analisando suas características, diferenças e fatores a serem considerados na hora da escolha. Boa leitura!

CDB pré e pós-fixado, o que são?

Antes de olhar para a especificidade de um CDB pré e pós, vamos relembrar como funciona esse tipo de investimento. 

O CDB é um título de renda fixa, emitido por instituições financeiras como forma de captação de recursos. Ele funciona como um empréstimo do investidor para o banco, que em troca oferece uma remuneração.

Como vimos, quando o assunto é a rentabilidades desses títulos, ela se divide em prefixada, pós-fixada ou híbrida. Aqui, focaremos nas duas primeiras. Afinal, a modalidade híbrida é a junção das duas primeiras. 

O CDB prefixado é uma opção na qual a taxa de rendimento do título é definida no momento da aplicação e permanece inalterada durante todo o período do investimento. 

Dessa forma, quem investe tem a garantia de saber exatamente quanto receberá no vencimento, independentemente das variações nas taxas de mercado.

Veja um exemplo: suponha que você invista em um CDB que pague 12% ao ano.  Se você mantiver o valor aplicado até a data do vencimento, você receberá exatamente os 13% contratados no início da aplicação, mesmo que ocorram flutuações no mercado.

Esta modalidade oferece uma vantagem clara para quem buscam previsibilidade e segurança em relação aos rendimentos, principalmente em cenários de queda de juros.

Porém, vale ressaltar que a previsibilidade do retorno vem acompanhada de uma possível limitação nos ganhos, uma vez que, se as taxas de mercado aumentarem após a aplicação, você ficará preso à taxa acordada anteriormente.

CDB pós-fixado

Já o CDB pós-fixado tem sua rentabilidade atrelada a um indicador, geralmente o CDI  (Certificado de Depósito Interbancário), que fica sempre próximo à Selic (Sistema Especial de Liquidação e Custódia), a taxa básica de juros da nossa economia, mas também pode seguir o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo).

Neste caso, o retorno do investimento varia de acordo com o desempenho do indicador escolhido.

Vamos ao exemplo: se você investe em um CDB cuja rentabilidade é de 110% do CDI, se este indicador estiver em 10%, a remuneração da sua aplicação será de 11%.

A principal característica do CDB pós-fixado é a possibilidade de o investidor se beneficiar de cenários econômicos com alta da taxa de juros, aproveitando a valorização de indicadores que impactam diretamente a remuneração do título.

Se as taxas de juros estiverem em alta, por exemplo, a rentabilidade do CDB pós-fixado tende a ser mais atrativa.

Entretanto, é importante destacar que para o CDB pós-fixado, só é possível saber o rendimento exato da aplicação no momento do seu vencimento ou no resgate do dinheiro.

Qual a diferença entre CDB prefixado e pós-fixado?

Como acabamos de ver, a diferença fundamental entre o CDB prefixado e pós-fixado está na forma como a taxa de rendimento é estabelecida. Veja com mais detalhes:

Rentabilidade

O-que-é-melhor-CDB-pré-ou-pós-fixado?

A questão da rentabilidade é crucial ao avaliar as opções de CDB pré e pós-fixado. No caso do CDB prefixado, a taxa estabelecida inicialmente proporciona ao investidor a previsibilidade dos ganhos ao longo do tempo.

Por outro lado, o CDB pós-fixado pode oferecer maior potencial de lucro em períodos de crescimento econômico, pois a remuneração está atrelada a indicadores que podem se valorizar.

A escolha entre essas modalidades dependerá da sua expectativa em relação ao cenário econômico e sua disposição para lidar com variações nos rendimentos ao longo do período de investimento.

É importante analisar seu perfil de tolerância a riscos e suas metas financeiras ao decidir entre CDBs pré e pós-fixados, buscando um equilíbrio entre segurança e potencial de retorno.

É válido destacar que a compreensão do cenário econômico é fundamental. A análise de indicadores, projeções e tendências pode ajudar a tomar decisões mais assertivas.

Confira as perspectivas econômicas para 2024:

Além disso, a diversificação da carteira de investimentos também pode ser uma estratégia interessante para mitigar riscos e buscar ganhos consistentes. Ao combinar CDBs pré e pós-fixados, você pode obter uma abordagem equilibrada, aproveitando os benefícios de ambas as modalidades.

Como saber se um CDB é pré-fixado ou pós-fixado?

Ao considerar investir em CDBs, é fundamental compreender como identificar se um título é pré ou pós-fixado.

Essa informação geralmente está claramente especificada no site da instituição financeira emissora.

No caso do CDB prefixado, será indicada a taxa de rendimento acordada no momento da aplicação.

Para o CDB pós-fixado, será informado qual índice ou indicador está atrelado à remuneração, permitindo ao investidor entender como os rendimentos serão calculados ao longo do tempo.

Além disso, consultar um assessor financeiro pode fornecer insights adicionais e esclarecer dúvidas que possam surgir durante o processo de escolha.

Como escolher CDB prefixado ou CDB pós-fixado?

A escolha entre CDBs pré e pós-fixados dependerá das metas, perfil de risco e horizonte de investimento de cada pessoa.

Se conhecer o valor dos rendimentos no início da operação é o que você busca, então o CDB prefixado pode ser a opção mais adequada.

O CDB pós fixado acompanha um índice da economia, por exemplo o CDI, e por isso se encaixa melhor se você busca um produto no qual a rentabilidade acompanha um índice de referência. 

De forma geral, os investimentos pré-fixados são ideais para metas de médio e longo prazo e o melhor momento para investir nesse tipo de papel é quando a taxa de juros está alta e com perspectivas de quedas para o futuro, como é o caso agora, já que, de acordo com o Relatório Focus de 8 de março, a expectativa é que a Selic chegue ao final de 2024 em 9%.

Já os títulos pós-fixados costumam ser indicados para reserva de emergência e objetivos de curto prazo e a vantagem é que eles oferecem menor risco caso você precise antecipar a liquidação do título. 

É importante destacar que não há uma resposta única e definitiva para essa escolha. Cada investidor possui circunstâncias e objetivos únicos e a decisão entre CDBs pré e pós-fixados deve ser tomada com base em uma avaliação cuidadosa de suas necessidades financeiras e apetite para riscos.

Quais são os impostos para investir em CDB?

Na hora de investir em um CDB, seja ele pré ou pós-fixado, é bom ter em mente que os ganhos obtidos nesse tipo de aplicação estão sujeitos à tributação.

O Imposto de Renda varia de acordo com o prazo de aplicação, de acordo com uma tabela regressiva. Quanto maior o prazo de investimento, menor a alíquota de imposto sobre os ganhos.

As alíquotas podem variar de 22,5% para investimentos de até 180 dias até 15% para investimentos acima de 720 dias.

Além do IR, há também a cobrança do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), que incide sobre os rendimentos dos resgates feitos com menos de 30 dias.

Agora você já sabe tudo sobre CDB pré e pós-fixado. Seja qual for a sua escolha, você pode contar com o apoio do nosso time de assessores de investimento para realizar uma análise cuidadosa de suas metas financeiras. Comece a investir agora mesmo!

Conclusão

Quanto-rende-um-CDB-Pós-fixado?

Investir em CDBs pré e pós-fixados representa uma oportunidade para diversificar suas aplicações em renda fixa. A escolha entre essas modalidades dependerá de fatores pessoais, como tolerância a riscos e horizonte de investimento, além de uma avaliação do cenário econômico.

Ao compreender as diferenças entre o CDB prefixado e pós-fixado, avaliar a rentabilidade, conhecer as variáveis envolvidas e seguir uma estratégia de diversificação, você estará mais preparado para tomar decisões informadas e alcançar seus objetivos financeiros. Bons investimentos!

Recomendar Conteúdo:
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Quem leu essa matéria também gostou

Matérias mais lidas

Gostaria de receber novidades?

    Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

    WhatsApp
    LinkedIn
    Twitter
    Facebook

      Ei, tá curtindo o nosso Blog?

      Inscreva-se para receber as nossas novidades dicas financeiras exclusivas e conteúdo especial na sua caixa de entrada.




      Obrigado por se inscrever!